Províncias

Reforçada a assistência pré-hospitalar

Domingos Mucuta | Lubango

A assistência pré-hospitalar às vítimas de acidentes rodoviários vai ser reforçada na província da Huíla, em consequência da parceria entre o Instituto Nacional de Emergências Médicas (INEMA) e a Unidade da Polícia de Viação e Trânsito, anunciou sexta-feira, no Lubango, o chefe do departamentoprovincial da primeira instituição.

DOMINGOS MUCUTA | Lubango A assistência pré-hospitalar às vítimas de acidentes rodoviários vai ser reforçada na província da Huíla, em consequência da parceria entre o Instituto Nacional de Emergências Médicas (INEMA) e a Unidade da Polícia de Viação e T
Fotografia: Estanislau Costa | Lubango

Paulo Luvangamo disse que a estratégia de cooperação entre o INEMA e a Polícia Nacional vai assegurar os primeiros socorros aos sinistrados dos acidentes por pessoalqualificado.Luvangamo explicou que a parceria com a Polícia surge pelo facto de, em muitos casos, a assistência aossinistrados ser feita por pessoal não preparado. “Estamos acriar mecanismos conjuntospara os assistentes desenvolverem este trabalho comeficácia e salvarmos mais vidas”, disse.
O chefe de departamento referiu que o INEMA ainda apresenta meios erecursos humanos limitados para cobrir toda a província, estando, neste momento, apenas com 17 enfermeiros e cinco motoristas. Apesar do reduzido número de técnicos, o responsável disse que o Institutotem a equipa preparada para assegurar o primeiro socorro aos sinistrados. Paulo Luvangamo revelou que serem necessárias mais quatro ambulâncias de suporteavançado, 30 enfermeiros e dez motoristas. O reforço da equipa com mais técnico – acrescentou – visa criar brigadas e postos fixos em diferentes regiões da província, com destaque para a zonasul, na localidade do rio de Areai,com vista a cobrir a estrada Lubango/Cunene.
Luvangamo referiu que outros postosestão a ser instalados na zona leste da Matala, em Cacula, para acobertura da zona norte, e na Humpata, tendo em atenção a estradaLubango/Namibe.
Este ano, o INEMA tenciona apostar naformação de pessoal, dandocursos de suporte básico de vida e reanimaçãocardio-respiratória e cerebral. A formação vai abranger o pessoal do INEMA e pessoas interessadas em prestar os primeiros socorrosàs vítimas deacidentes.A linha telefónica 116 não está neste momento acessível para as ligações de emergência devido à falta de sistema.
 “A província deve montar um sistema detelecomunicações para que, nos próximos tempos, os afectados possam ligar por um outro terminal e solicitar a intervenção da unidade de emergênciasmédicas”, referiu Luvangamo. Na quinta e sexta-feira, o Instituto nacional de Emergência Médicas realizou uma exposição pública do seu aparato técnico, como objectivo de divulgar os serviços e aresponsabilidade social doINEMA.

Tempo

Multimédia