Províncias

Registo civil aplaudido em Caluquembe

Arão Martins | Caluquembe

Os habitantes do município de Caluquembe, na Huíla, afirmaram no sábado sentirem-se orgulhosos pela iniciativa do governo local de promover o registo civil gratuito de adultos, crianças e adolescentes.

Campanha gratuíta de registo civil e emissão do Bilhete de Identidade no município de Caluquembe teve resultados animadores
Fotografia: Daniel Benjamim | Luena

Os habitantes do município de Caluquembe, na Huíla, afirmaram no sábado sentirem-se orgulhosos pela iniciativa do governo local de promover o registo civil gratuito de adultos, crianças e adolescentes.
A acção, que está a ser desenvolvida pela delegação provincial da Justiça, com o apoio do governo da Huíla, abrange a sede municipal de Caluquembe, as comunas de Calepi, Negola, sector de Vila-Branca e aldeias.
Para verificar o andamento do processo, o vice-governador para a área Política e Social, José Arão Nataniele, deslocou-se na sexta-feira ao município de Caluquembe e ficou satisfeito com o andamento dos trabalhos.
O delegado provincial da Justiça, Pedro Inácio, informou que, até sexta-feira, mais de dois mil habitantes do município de Caluquembe já tinham assento de nascimento e cédula pessoal. Foram registadas 320 pessoas na Sandula, 475 no Negola, 284 no Calepi, 193 no Cussesse, 356 na Vila-Branca e 384  no Cuilo.Além do assento de nascimento e cédula pessoal, foram emitidos Bilhetes de Identidade e o processo decorreu em simultâneo com a actualização do registo eleitoral.
Com início no passado dia 5, passados seis dias tinham sido emitidos perto de mil B.I. à população de Caluquembe. Na sede comunal foram entregues 517, no Cuilo 86, no Calepi 100 e na comuna da Negola 211. O processo, inserido na estratégia do governo provincial destinada a documentar os cidadãos nacionais que vivem nas comunas sem a devida documentação que o identifica como cidadão nacional, vai continuar, apesar do fim do processo de actualização do registo eleitoral. O soba Tomas Cawele, da regedoria de Calupele, disse que a campanha gratuita de registo civil e Bilhete de Identidade da população de Caluquembe também ajuda a combater a fome e a pobreza, porque só assim os camponeses podem aceder a sementes e instrumentos de trabalho.
O vice-governador da Huíla para o sector Político e Social, José Arão Nataniel, pediu às autoridades tradicionais e eclesiásticas para se mobilizarem e esclarecerem a população sobre a importância de possuir a documentação. “Precisamos que as autoridades tradicionais, as igrejas, membros da sociedade civil, mobilizem a população para que acorram às brigadas de registo civil para que todos possuam um documento que os identifique como angolanos”, concluiu.

Tempo

Multimédia