Províncias

Requalificação da cidade melhora a habitabilidade

O processo de requalificação da cidade do Lubango, iniciado em 2009, impõe sacrifícios mas vai dar melhores condições de habitabilidade aos munícipes, realçou no domingo o governador da Huíla, Isaac dos Anjos.

O processo de requalificação da cidade do Lubango, iniciado em 2009, impõe sacrifícios mas vai dar melhores condições de habitabilidade aos munícipes, realçou no domingo o governador da Huíla, Isaac dos Anjos.
Falando como convidado do programa “Espaço Público” da TPA, o governador justificou que as demolições ocorridas neste período visaram dar seguimento a um dos mais importantes projectos de reconstrução nacional, o Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, e livrar cidadãos “de condições de vida extraordinariamente precárias” ao longo do rio Mukufi, principal dreno da cidade.
“Temos de projectar a cidade para ver como vamos integrá-la num conjunto social e futurista capaz de absorver mais gente. Actualmente o Lubango está com um milhão e meio de habitantes, mas se ela for bem estruturada podem caber mais duzentas mil pessoas e é isto que estamos a fazer”, explicou o governador. Isaac dos Anjos lembrou que a maioria da população do Lubango vive em espaços apertados, ocupando os canais de drenagem e nestas condições, o modo de vida e de habitabilidade é precário.
“Olhamos para as infra-estruturas existentes e pensamos que a solução é oferecer às pessoas melhores condições, por isso pensou-se na instalação do comboio circular e pensamos  fazer a expansão da cidade para outras zonas”, disse o governador da Huíla.

Tempo

Multimédia