Províncias

Requalificação empresta nova imagem

Arão Martins | Lubango

O administrador municipal do Lubango, Manuel Capenda, assegurou, na quinta-feira, que o trabalho de requalificação, iniciado em 2010, pelo governo da Huíla, está a devolver outra imagem à cidade.

Serra da Leba será requalificada no âmbito do programa do governo provincial da Huíla para uma circulação com segurança
Fotografia: José Bule

O administrador municipal do Lubango, Manuel Capenda, assegurou, na quinta-feira, que o trabalho de requalificação, iniciado em 2010, pelo governo da Huíla, está a devolver outra imagem à cidade.
Manuel Capenda teceu estas considerações quando discursava, na quinta-feira, durante a cerimónia de cumprimentos de fim de ano.
O engajamento, empenho e abnegação de todos os munícipes está a permitir a apresentação de resultados positivos.
Afirmou ter havido também melhorias significativas na gestão urbanística e concessão de terrenos, comparativamente aos anos anteriores. Isto devido à abertura de novas urbanizações nas comunas da Arimba, Quilemba e nos arredores da cidade do Lubango.
O responsável informou que até à primeira quinzena de Dezembro, a administração municipal concedeu mais de 11.000 lotes para diversos fins urbanísticos, nas localidades da Tchavola, Tchimukua, Kwawa, Nambambe e Eywa.
O governante reconheceu que, mesmo com os êxitos alcançados, muito ainda deve ser feito na área de urbanização, sobretudo devido à carência de equipamentos.
Afirmou que a solução dessa tarefa passa, necessariamente, pela aquisição de equipamentos e recrutamento de pessoal qualificado.

Saneamento básico

O administrador municipal do Lubango afirmou que o problema do saneamento básico constituiu maior preocupação.
Indicou que questões relacionadas com a saúde, educação, água e energia foram igualmente tidas como prioritárias pela administração.
Ele reconhece debilidades relativamente a aspectos relacionados com o saneamento básico e limpeza pública, em função da exiguidade de meios técnicos para cobertura da cidade.
“Reconhecemos as debilidades existentes, devido à exiguidade de meios técnicos para a cobertura da cidade, uma vez que os que temos são inadequados e ainda ao facto de os munícipes insistirem em proceder à deposição dos resíduos fora das horas determinadas e na maior parte das vezes em locais inapropriados.
O responsável do município do Lubango sublinhou que a solução do problema passa necessariamente pela substituição do trabalho manual pelo mecanizado, para potenciar os resultados e diminuir os riscos à saúde.
A administração municipal do Lubango vai prosseguir, em 2011, com maior incidência na recolha e tratamento de resíduos sólidos, gestão urbanística e distribuição de terrenos. Considerou que a realização de concursos públicos decorreu de forma regular e foi prioridade da direcção da instituição, para permitir o ingresso de novos funcionários, na perspectiva de substituir de maneira gradual a força de trabalho em idade de reforma.
Manuel Capenda disse ser importante a qualificação dos quadros e técnicos e a mudança de atitudes e comportamentos perante a instituição e o cidadão. O administrador do Lubango afirmou que os recursos financeiros alocados à administração são exíguos para fazer face às necessidades do município, que possui 1.500.000 habitantes, dos quais 1.200.000 estão concentrados no Lubango.

Tempo

Multimédia