Províncias

Saneamento influencia crescimento das crianças

Arão Martins | Lubango

A falta de saneamento tem graves implicações na economia, visto que as doenças  causadas afectam o desenvolvimento físico e intelectual, sobretudo das criança, disse o vice-governador  da Huíla para o sector Económico.

Membros do Governo da Huíla e da sociedade civil traçam estratégias para melhorar o saneamento básico nas comunidades
Fotografia: Arão Martins | Lubango

Sérgio da Cunha Velho, que encerrou um seminário promovido pelo Ministério da Ambiente em parceiro com a União Europeia e a UNICEF, disse que a falta de saneamento básico prejudica a produtividade e a capacidade do crescimento dos adultos.
 O vice-governador provincial da Huíla precisou que estudos desenvolvidos demonstram que apostando na melhoria do saneamento e da higiene, e mais fácil o combate à pobreza, aumentar o acesso das crianças à escola, reduzir a desigualdade do género e a mortalidade infantil.
 Estas condições sociais, disse Sérgio da Cunha Velho, representam a aposta do Executivo para com a população, reflectidos no Plano Nacional de Desenvolvimento, actualmente em curso, onde o governo da Huíla está a desenvolver acções do programa Saneamento Total Liderado pela Comunidade, uma ferramenta chave, eficaz e de baixo custo, que permite resolver o problema da falta de saneamento, através da promoção da mudança de comportamento e liderança nas comunidades.  As administrações municipais, em parceria com a sociedade civil e com o apoio da UNICEF e da União Europeia, têm vindo a promover a nível das comunidades, a criação e uso de infra-estruturas de saneamento básico e de boas práticas de higiene, para que todas as famílias façam o uso de latrinas ou casas de banho, disse o vice-governador.
 Sérgio da Cunha Velho realçou que o programa de Saneamento Total Liderado pela Comunidade, na Huíla, está em oito aldeias sem defecação ao ar livre. O programa beneficiou nesta fase mais de 16 mil pessoas.
 "Mas é fundamental continuarmos a trabalhar juntos, partilharmos as experiencias e inovarmos para garantir que a prática da higiene nas famílias, o uso de latrinas ou casas de banho e a eliminação definitiva da defecação ao ar livre sejam uma realidade em todo o país, municípios, comunas, aldeias e sectores da província da Huíla", disse.
 “Todas as pessoas têm o direito a viver num ambiente aprazível e saudável. Todos temos a responsabilidade de garantir que nenhuma criança morra de doenças como as diarreias, causadas pela precariedade do saneamento”, afirmou Sérgio da Cunha Velho. O seminário constituiu uma oportunidade para a definição de estratégias com vista à melhoria do saneamento em Angola e na província da Huíla, enquanto pioneira da iniciativa de Saneamento Total Liderado pela Comunidade.
 Os participantes no seminário sobre Saneamento Total Liderado pelas Comunidades concluíram que o acesso à rede básica de saneamento é uma condição essencial para a protecção da saúde e da dignidade humana.
 Os participantes concluíram ainda que o “Saneamento Total Liderado pela Comunidade” é um bom investimento que pode resolver os problemas da falta de saneamento em Angola e garantir a dignidade humana.  Os resultados obtidos até agora são encorajadores e exigem a melhoria da divulgação em todos os circuitos sociais, conforme concluíram os participantes ao encontro, que durou três dias.
Participaram quadros dos sectores da Água e Saneamento, membros da sociedade civil e das organizações não governamentais, activistas das províncias do Bié, Huíla, Cunene e Moxico.

Tempo

Multimédia