Províncias

Sector agrícola recebe créditos

Domingos Mucuta| Lubango

Pelo menos, 300 camponeses da província da Huíla obtiveram, até ao dia 15, créditos, no valor de cerca de 700 mil dólares, disse, ontem, ao Jornal de Angola, o gerente do Banco de Comércio e Indústria (BCI).

Os créditos cedidos a centenas de camponeses da província da Huíla foram convertidos em sementes e instrumentos de trabalho
Fotografia: Domingos Mucuta| Lubango

Pelo menos, 300 camponeses da província da Huíla obtiveram, até ao dia 15, créditos, no valor de cerca de 700 mil dólares, disse, ontem, ao Jornal de Angola, o gerente do Banco de Comércio e Indústria (BCI).
Domingos Ngelenge afirmou que os créditos, convertidos em produtos agrícolas – sementes de milho, massangano e de massambala, bata-doce e rena, fertilizantes, moto-bombas, moagens, carroças e gado para tracção – foram cedidos a filiados em cooperativas dos municípios da Matala, Quipungo, Caconda e Caluquembe.
Cada agricultor recebeu um montante avaliado em cinco mil dólares, reembolsáveis em dez meses, com juros bonificados.O processo de concessão de crédito a camponeses começou no mês de  Fevereiro e prevê atribuir, até ao fim de Agosto, cerca de 1,5 milhões de dólares.

Crédito vai ser expandido

Prudência Justina, técnica de micro finanças da agência do BPC, afirmou que o banco vai alargar o crédito de campanha a mais comunas e municípios da Huíla
Desde o início do projecto, em Março, disse, 194 camponeses, de sete cooperativas do município da Matala, receberam ferramentas agrícolas, num investimento de 66.754.919 kwanzas.
Nos próximos dias, afirmouPrudência Justina, 52 camponeses da comuna da Huíla, recebem, no total, 13.547.000 kwanzas convertidos em instrumentos agrícolas.
Na próxima etapa, as acções do banco destinam-se a 2.500 agricultores dos municípios da Cacula, Caluquembe e Quipungo, que já entregaram os processos. Os interessados em contrair empréstimos devem fazer parte de uma cooperativa ou de sociedade de camponeses. O programa de "Crédito de Campanha" tem a parceria da União Nacional dos Camponeses de Angola, do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) e do Comité de Pilotagem, criado nas administrações municipais, segundo dados da Administração.

Tempo

Multimédia