Províncias

Sectores reforçados com novos quadros

Arão Martins | Lubango

Os novos quadros para os sectores da Educação e da Saúde, admitidos recentemente por concurso público, entram em funções em breve, anunciou quinta-feira o governador provincial da Huíla.

Governador provincial (ao centro) disse que tem sido um exercício comum anualmente executar os orçamentos e mesmo assim há sempre emendas
Fotografia: Arimateia Baptista | Huíla | Edições Novembro

João Marcelino Tyipinge, que falava na abertura do seminário provincial sobre “As Normas de Execução do Orçamento Geral do Estado/2017, Preparação da Conta Geral do Estado 2016, Imposto Predial Urbano e a Implementação do Decreto Presidencial nº 104/11 de 23 de Maio, à luz do Despacho Presidencial nº 314/16 de 22 de Novembro”, disse que os processos de homologação dos novos candidatos estão avançados.
O governante afirmou que a província da Huíla ainda tem  défice  nos sectores do ensino e da Saúde, dai a orientação para a realização de novos concursos.
“O processo de admissão do pessoal já está no Tribunal de Contas e estamos certos de que, dentro de pouco tempo, os quadros da Saúde e Educação vão entrar em funções na província”, garantiu João Marcelino Tyipinge.
Sobre o seminário, o governador provincial da Huíla disse que tem sido um exercício comum anualmente executar os orçamentos e, mesmo assim, há sempre alguma novidade que o processo acarreta, dai ser necessário a execução de forma conveniente.
João Marcelino Tyipinge afirmou que os recursos financeiros são escassos e, logo, precisa-se de uma gestão coerente e responsável, para que os dinheiros sejam bem canalizados. O governador provincial da Huíla explicou que, no quadro dos programas de descentralização financeira, estão disponíveis novos desafios, que devem ser executados com eficácia pelos gestores nos municípios.
“Depois de vários anos de propostas e preocupações apresentadas pelos municípios de que alguma parte dos valores que são arrecadados pelas administrações ficassem ali para satisfazer as necessidades locais, o ganho está conseguido, o que requer maior responsabilidade dos gestores”, disse João Marcelino Tyipinge, que alertou para a necessidade de se saber seleccionar o tipo de despesa a realizar. “Do pouco que temos, é preciso escolher as despesas prioritárias”, aconselhou o governador provincial, para quem deve haver maior entrega na dinamização e diversificação das fontes de receitas.
“Todos os serviços que a lei define  que devem ser pagos, devem ser cobrados e entrar na conta própria, com as instruções do Ministério das Finanças”, disse o governador provincial da Huíla.

Desafio para todos

O delegado provincial das Finanças da Huíla, Sousa Isaac Dala, disse que a nova metodologia adoptada para o ano económico de 2017 é desafiante e exige responsabilidade a todos. “A nova metodologia adoptada, que visa dinamizar e diversificar as fontes de receitas, motivou o governo, para articular com a delegação das Finanças a promoção do seminário, no sentido dos directores provinciais e gestores municipais terem  acesso à esta didáctica, adoptada para o ano económico de 2017”, disse Sousa Isaac Dala, que esclareceu que muitas tarefas que eram feitas pela delegação provincial das Finanças foram deslocadas para o Governo Provincial, avançando que se trata  de acções técnicas e que exigem dedicação e disciplina.

Tempo

Multimédia