Províncias

Serviços sociais crescem em Caconda

Arão Martins| Caconda

O Plano de Desenvolvimento Municipal de Caconda, apresentado ontem aos membros do Governo Provincial da Huíla e à sociedade local,  contribui para dinamizar a expansão do sector agropecuário e aumentar a cobertura de fornecimento de energia e água potável à população da região, estimada em 159.908 habitantes, disse a coordenadora  do projecto.

O plano de desenvolvimento municipal foi apresentado ontem aos membros do Governo
Fotografia: Arão Martins| Caconda

Mariana Soma afirmou que além destes pontos fortes, o programa prevê ainda a execução de acções, até 2017, para aumentar a cobertura dos serviços de registo civil, incentivar o investimento privado e desenvolver o comércio.
A coordenadora do projecto  explicou que o Plano de Desenvolvimento Municipal de Caconda   surge no âmbito da estratégia do Ministério da Administração do Território de garantir políticas e objectivos entre os diferentes níveis do Governo, de forma a incluir a planificação estratégica ao nível da administração local.
Tendo em conta a situação actual da pobreza e do nível de desenvolvimento do município, foi elaborado o perfil municipal e implantada uma base de dados estatísticos documentais e georreferenciados, que permite monitorar a cada dia a evolução dos principais indicadores de pobreza e de desenvolvimento, disse Mariana Soma, que acrescentou: “O Plano de Desenvolvimento Municipal de Caconda é a sequência de um processo macro de planificação, que tem a sua génese no plano de longo prazo definido pelo Executivo, até 2025, cujos objectivos, a médio prazo, são concretizados no Plano Nacional de Desenvolvimento 2013/2017, que serviu de base para no nível provincial elaborar o seu próprio plano”.
O administrador municipal de Caconda, Adão César, disse que o programa prevê a construção, no quadro de vários programas, de novos hospitais, escolas e a reabilitação de estradas, bem como a intensificação da produção agropecuária.
A reabilitação de pontes e pontecos, apoio institucional à família e à promoção da mulher, entre outros, são outras acções que vão ser executados no âmbito do programa, disse Adão César, que explicou que o Plano de Desenvolvimento Municipal de Caconda, que está ainda em discussão, foi elaborado com base no quadro jurídico-legal definido em leis e decretos presidenciais, que definem e regulam as acções programáticas dos órgãos descentralizados da administração local.
Adão César salientou que o modelo de desenvolvimento territorial, que era caracterizado pela ausência dos principais instrumentos de ordenamento e gestão a nível do município de Caconda, em especial o Plano Director Municipal, dificultava a padronização dos espaços urbanísticos.  A fraca cobertura de rede bancária, para incentivar o investimento privado, o fraco desenvolvimento do comércio, da agropecuária e da cobertura de fornecimento de energia e água potável e da rede sanitária foram alguns pontos apontados por Adão César como preocupação actual das autoridades locais.
O administrador municipal  de Caconda indicou que o programa vai diminuir o número de   crianças fora do sistema de ensino, a fraca cobertura de rede de comunicações, a insuficiência de transportes públicos, a violência doméstica e vai aumentar as vias de acesso e os incentivos para a massificação dos desportos e do empreendedorismo. Adão César apelou para uma maior exploração das potencialidades turísticas da região, com a criação de investimentos, principalmente na rede hoteleira e similares e ressaltou ser preciso combater a deficiente assistência às crianças e à terceira idade e  encontrar mecanismos que visem reforçar a manutenção da ordem pública.
A inexistência de um parque industrial, vocacionado para a área de transformação e conservação de produtos agrícolas, é outra situação que preocupa as autoridades locais e que vai ser solucionada com a execução do Plano de Desenvolvimento Municipal de Caconda, concluiu Adão César.

Tempo

Multimédia