Províncias

Sistema de água potável é instalado em Mitchole

Estanislau Costa e Alfredo Chivia | Lubango

Mais de oitocentas crianças do bairro do Tchioco, arredores do Lubango, deixaram há dias de frequentar aulas em salas improvisadas, com a entrega de uma escola com meios modernos.

Maria João Chipalavela inaugurou serviços
Fotografia: Estanislau Costa | Lubango

O estabelecimento do ensino primário com seis salas de aulas, situado numa zona com grande número de crianças, orçou em 40 milhões de kwanzas. O imóvel possui sala dos professores, área administrativa, balneários e um espaço para prática de desporto.
O director da escola, Mulheipo Cassiano, elogiou o Fundo de Apoio Social (FAS) por construir a escola com condições que permitem ensinar o ABC a muitos alunos e evitar que os alunos que transitam para a 9.ª classe, percorram longas distâncias.
“O bairro do Tchioco acolhe muitas famílias, o que torna exíguas as infra-estruturas de prestação de serviços”, disse o director, enaltecendo a construção de escolas que permitem a inserção de mais crianças no sistema de educação e instrução.
Cassiano acrescentou que os alunos deixam, a partir de agora, de frequentar aulas ao ar livre ou em locais isolados. “Estas condições motivam as crianças a gostar da escola, serem assíduas e a terem melhor desempenho nas aulas.”
Já os técnicos de saúde da localidade do Luyovo contam, a partir de agora, com duas habitações do tipo T2, implantadas numa área de mil metros quadrados cada uma e apetrechadas com mobiliário diverso. O FAS gastou para isso acima de 15 milhões de kwanzas.
“Os cuidados aos doentes é agora feito em 24 horas porque não precisamos de voltar à sede da província onde temos as nossas casas. Já nos implantámos aqui e atendemos os doentes sem interrupção”, disse o enfermeiro Francisco Cambole, pedindo o envio de mais técnicos.

Água e saúde no Mitchole


O sistema de distribuição de água potável erguido na povoação do Mitchole, comuna da Arimba, contempla, a partir deste mês, mais de quatro mil habitantes que percorriam dois quilómetros para acarretar o produto num riacho.
O administrador comunal da Arimba, Kuia Jamba, disse que o sistema, com capacidade para bombear mais de dois mil litros por hora para um grande reservatório, surge em momento oportuno, pela razão de os populares sentirem a falta de água provocada pelo atraso das chuvas. “A água estava a escassear nas fontes alternativas de abastecimento. Para acarretar, os populares tinham de ir mais longe”, disse, assegurando que o sistema vai ser bem cuidado.
A prestação de serviços é também reforçada com um posto de saúde, orçado em 21 milhões de kwanzas e projectado para atender mais de três mil doentes.
O imóvel, situado numa área de mil metros quadrados, tem farmácia, consultórios, enfermaria infantil, de observação, de internamento com seis camas, de aconselhamento, vacinação, câmara de frio, arrecadação e casas de banhos.
A vice-governadora provincial da Huíla para o Sector Social e Político, Maria João Chipalavela, que procedeu à inauguração das infra-estruturas, garantiu que o Governo Provincial vai continuar a desenvolver actividades para a melhoria da vida das populações, sobretudo das zonas mais recônditas da província.

Tempo

Multimédia