Províncias

Sistemas de captação de água entram em obras na cidade do Lubango

Arão Martins | Lubango

O sistema de abastecimento de água potável, a cidade do Lubango, província da Huíla, vai melhorar com as obras de ampliação da rede de captação e reabilitação dos sistemas de tratamento da sede, estimadas em 90 milhões de Euros.

O sistema de abastecimento de água potável, a cidade do Lubango, província da Huíla, vai melhorar com as obras de ampliação da rede de captação e reabilitação dos sistemas de tratamento da sede, estimadas em 90 milhões de Euros.
O projecto, com a duração de três anos, foi lançado, quinta-feira, pelo director Nacional de Águas, Lucrécio Costa, e as obras estão a cargo da empresa Gauff Engeniering, que prevê aumentar os níveis de abastecimento para 70 litros de água dia por pessoa. O director Nacional de Energia e Água, Lucrécio Costa ao dissertar o tema “Apresentação e Fundamentação do Plano de Trabalhos Previstos na Empreitada” referente ao Projecto de Abastecimento Água e Saneamento de Águas Residuais da Cidade do Lubango (PALUB-1), disse que os níveis de abastecimento à cidade será mais eficaz.
Disse que o sistema de abastecimento do Lubango, possui uma operatividade precária, o que provoca o baixo nível de atendimento, regularidade e deficiência na qualidade. “O Executivo vai reabilitar e ampliar  o sistema de abastecimento, tratamento de água e o saneamento básico da cidade do Lubango”. O projecto lançado, afirmou, traz benefícios por reconfigurar e potenciar todo o sistema. A redistribuição de água na urbe, ainda é precária por possuir um sistema antigo com mais de 50 anos. “Isto fez com que aumentasse as roturas e incapacidade de suportar a pressão”.
O sistema do Lubango foi planeado nos anos 40 para abastecer cerca de 60.000 mil habitantes, onde as fontes principais eram a captação da Tundavala e a nascente da Nossa Senhora do Monte. Estas áreas de captação são utilizadas até hoje e já houve um esforço que consistiu na implantação de mais furos na periferia da cidade. Lubango possui quatro reservatórios com uma capacidade de 4.500 metros cúbicos para atender um milhão e 200 mil habitantes, o que torna incapaz os actuais níveis de captação e distribuição.
 
Execução dos trabalhos
 
A empresa Gauff Engeniering começa as obras nos sistemas de captação, reservatórios de armazenamento, condutas adutoras e, posteriormente na rede de distribuição. Neste memento, a empreiteira concentra o equipamento para a construção da conduta adutora. O levantamento efectuado no sector das águas, despertou a atenção para a realização de um estudo sobre o saneamento básico, para evacuação da água residual. “Vamos construir sistemas de esgotos para evacuação imediata da água utilizada pela população”, disse a engenheira Maria Almeida.
Já o arquitecto Raimundo Aires explicou que o sistema a ser aplicado nas obras é de tecnologia de ponta capacitado para controlar as fugas de água. “As condutas adutoras são de enorme extensão e diâmetro para transporte de níveis aceitáveis de água”.

Tempo

Multimédia