Províncias

Tchivinguiro é referência na formação de técnicos

Arão Martins | Tchivinguiro

O Instituto Médio Agrário do Tchivinguiro, criado na década de 1980, formou 1.964 técnicos, 92 dos quais no ano passado, nas áreas de gestão, produção animal e produção vegetal, disse, ontem, ao Jornal de Angola, o seu director-geral.

Instituição forma técnicos agrários
Fotografia: Arão Martins | Huíla

O Instituto Médio Agrário do Tchivinguiro, criado na década de 1980, formou 1.964 técnicos, 92 dos quais no ano passado, nas áreas de gestão, produção animal e produção vegetal, disse, ontem, ao Jornal de Angola, o seu director-geral. Francisco Ebo disse que a instituição que mais emprega os quadros saídos daquela escola é o Ministério da Agricultura seguido de algumas empresas privadas e que a entrada em funcionamento de institutos agrários no Kwanza-Sul, Kwanza-Norte, Bié, Malange e Uíge reduziu o número de alunos no Tchivinguiro. A maioria dos alunos que frequenta o Instituo do Tchivinguiro é da Huíla, Namibe, Cunene, Kuando-Kubango e Benguela.

Troca de experiências

Professores do Instituto Médio Agrário do Tchivinguiro foram formados, no ano passado, em Portugal, em diversas especialidades, no quadro de um programa de troca de experiências entre Angola e aquele país. Francisco Eno afirmou que esta troca de experiências, que contempla a formação de docentes ­angolanos em Portugal, tem contribuído para a melhoria da qualidade de ensino no Tchivinguiro.
Em Fevereiro, anunciou, outro grupo de professores da escola vão a Portugal, com o intuito de aumentarem os níveis de conhecimentos científicos e técnicos.

Tempo

Multimédia