Províncias

Toneladas de produtos incineradas

Arão Martins | Lubango

O Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC) e a Inspecção-geral do Ministério do Comércio incineraram no sábado, no Lubango, província da Huíla, mais de duas toneladas de produtos diversos.

Inspector-geral adjunto do Comércio
Fotografia: Arão Martins | Lubango

De acordo com o inspector-geral do Ministério do Comércio, os produtos foram apreendidos em diversos estabelecimentos comerciais, por má conservação e prazos de validade já ultrapassados.
Foram destruídos, entre vários produtos, medicamentos diversos, massa alimentar, feijão, caixas de salsicha, leite gordo e magro, bolos, azeite doce, azeitona, queijo e atum. Incineraram-se ainda caixas de bebidas espirituosas diversas, pacotes de bens alimentares, frascos e produtos de higiene e garrafas de gasosa.
O inspector-geral adjunto do Ministério do Comércio para a área de Operações e Inspecção, Francisco Félix, informou que a incineração dos produtos resultou de 145 infracções, registadas durante as visitas de inspecção e fiscalização das actividades comerciais e económicas.
Os produtos foram incinerados no aterro sanitário da localidade do Toco, arredores da cidade do Lubango.
Francisco Félix alertou para o facto de as pessoas deverem denunciar às autoridades competentes qualquer irregularidade de identifiquem nos produtos que adquiram, ao mesmo tempo que pediu aos agentes comerciais para primarem por boas práticas comerciais, para o bem de toda a população.
Ao afirmar a sua preocupação com a insegurança existente no local onde são incinerados os produtos e deitado o lixo que é recolhido na cidade do Lubango, referiu que se tem verificado a afluência de pessoas para recolherem esses produtos, o que constitui um perigo para a saúde.
Exortou, ainda, as entidades competentes a redobrarem os mecanismos de segurança nos locais de incineração dos produtos e depósito de lixo para o bem das populações.

Tempo

Multimédia