Províncias

Um gesto para salvar vidas

Estanislau Costa | Lubango

Mais de 400 pessoas, entre efectivos da Polícia Nacional e membros de diversas associações juvenis e religiosas, doaram sangue, ontem, nos hospitais central, pediátrico e maternidade do Lubango.

Acção ajuda a suprir a carência de sangue nos hospitais central e da maternidade do Lubango
Fotografia: Estanislau Costa | Lubango

A doação, apadrinhada por Miss Huíla 2013, Isadora Munjila, visou suprir a carência de sangue nestas  unidades sanitárias. As campanhas benevolentes e o amor ao próximo são tarefas contínuas, que devem envolver as mulheres que já ostentaram a coroa de Miss Huíla e todos os cidadãos, com vista a salvar vidas, disse Isadora Munjila. 
A iniciativa de  Miss Huíla 2013 foi considerada, pelo superintendente-chefe Custódio Marinho da Polícia Nacional, um gesto importante para acudir à falta de sangue nos hospitais e  salvar vidas, dai a adesão da corporação à campanha.O administrador do Hospital Central do Lubango, Pedro Amadi, apelou para  mais pessoas  participarem na doação de sangue.
Um apelo especial foi feito aos estudantes  para  serem doadores assíduos de sangue, para, com o seu gesto, salvarem vidas.
Apesar das doações feitas regularmente por membros da JMPLA e de igrejas locais, Pedro Amadi informou que as quantidades recebidas ainda são insuficientes para satisfazer as necessidades.  São necessários 20 doadores por dia para normalizar a necessidade de sangue, disse o administrador hospitalar. “Só assim podemos atingir a meta desejada e termos stock suficiente para acudir os casos que nos chegam.”
Para doar sangue, o dador deve ter entre  18 e 60 anos de idade, não sofrer de nenhuma doença crónica, pesar acima de 50 quilos e ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas que antecedem a doação.

Tempo

Multimédia