Províncias

UNICEF apoia programas de protecção das crianças

Domingos Mucuta| Lubango

As acções de defesa e promoção dos direitos dos menores desfavorecidos da província da Huíla vão ganhar outra dinâmica, a partir de Dezembro, quando arrancar o programa anual “Mãos Juntas II”, da Rede Criança, com o apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Coordenador da Rede Criança na Huíla
Fotografia: Domingos Mucuta | Lubango

As acções de defesa e promoção dos direitos dos menores desfavorecidos da província da Huíla vão ganhar outra dinâmica, a partir de Dezembro, quando arrancar o programa anual “Mãos Juntas II”, da Rede Criança, com o apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).
A garantia foi dada na sexta-feira pelo coordenador da Rede Criança na Huíla, Sérgio Mateus, no fim do seminário sobre gestão de fundos, dirigido aos responsáveis dos 19 projectos inseridos no programa “Mãos Juntas II”, orçado em 300 mil dólares. Sérgio Mateus explicou que o programa vai garantir uma protecção especial a mais de 20 mil crianças desfavorecidas, a nível dos 14 municípios, na perspectiva de contribuir para honrar os 11 compromissos assumidos pelo Governo angolano e parceiros sociais.
Os projectos das instituições da sociedade civil, contemplados no programa, concorrem para a concretização dos compromissos três e oito, sobre o registo de nascimento e combate e prevenção da violência contra a criança.
“Depois de dois anos de elaboração e negociações, o programa já tem pernas para andar, pois recebemos garantias do financiador sobre a disponibilidade do apoio no próximo mês, para o arranque das acções programadas”, sublinhou.
Além do apoio do UNICEF, a coordenação da rede pretende mobilizar apoios do sector privado e público da província, e outros agentes locais, no sentido de reforçar as actividades e para que todos possam contribuir para garantir às crianças tudo aquilo que elas merecem. O programa “Mãos Juntas II” visa também desenvolver atitudes e comportamentos positivos, que favoreçam a garantia da protecção, com base no plasmado na legislação internacional, como a convenção das Nações Unidas sobre os direitos da criança.
Sérgio Mateus disse que a Rede Crianças vai estimular o envolvimento das famílias nas acções, por ser a base primordial para o crescimento harmonioso dos menores e o núcleo fundamental da sociedade. “Os pais e encarregados de educação devem ser o principal alvo para obtermos êxito. Por isso, os projectos visam a sensibilização das famílias e das comunidades para o reforço da capacidade, de forma a garantir o bem-estar dos menores”, defendeu.
Sérgio Mateus declarou que a Rede Criança conta nesta empreitada com as pareceria do governo da província da Huíla, do Instituto Nacional da Criança e com o Conselho provincial da Criança, para o sucesso do programa “Mãos Juntas II”.

Tempo

Multimédia