Províncias

Universidade aposta na pós-graduação

Domingos Mucuta | Lubango

A abertura de cursos de pós-graduação e de centros de investigação científica nas unidades orgânicas da Universidade Mandume-ya-Ndemofayo são acções que fazem parte dos principais desafios da instituição, para os próximos tempos, anunciou sexta-feira, no Lubango, o seu reitor.

Mais licenciados e bacharéis estão à disposição do mercado de trabalho na província da Huíla
Fotografia: Estanislau Costa | Huíla

Orlando da Mata, que falava durante a cerimónia de outorga de diplomas a 692 licenciados e bacharéis, disse que a Universidade Mandume-ya-Ndemofayo trabalha para a materialização de novos cursos de especialização, mestrados e doutoramento, em função das necessidades de desenvolvimento da VI Região Académica.
O reitor disse que a universidade precisa de ultrapassar desafios relacionados com o processo de ensino e aprendizagem, como aprimoramento e implementação de um sistema de garantia de qualidade, tendo como propósito a continuidade da conservação, produção e difusão da cultura e do conhecimento científico. Reconheceu que tudo passa pelo investimento nas infra-estruturas, no acervo bibliotecário, na aposta na formação contínua dos docentes e na institucionalização dos programas de extensão universitária.
Orlando da Mata acrescentou que a Univerdade Mandume-ya-Ndemofayo continua a promover relações privilegiadas com instituições de referência, procurando atrair os melhores professores, estudantes e investigadores, assim como garantir aos mesmos as melhores condições para o pleno desenvolvimento das suas capacidades e talentos.
O reitor salientou que se pretende dotar os estudantes de competências e habilidades exigidas no mercado de trabalho, dar-se melhor acompanhamento aos processos de avaliação dos planos curriculares e dos cursos ministrados na universidade, identificando as áreas prioritárias de formação para apoiar e desenvolver os cursos de mestrado, recentemente autorizados pelo Ministério do Ensino Superior. Orlando da Mata considerou que os novos licenciados, os primeiros com diplomas assinados pela Reitoria da Mandume-ya-Ndemofayo, são uma prenda para Nossa Senhora do Monte, a padroeira da cidade.
O vice-reitor para a área académica da universidade, José Pedro, revelou que foram diplomados 692 estudantes, dos quais 508 licenciados e 184 bacharéis, formados pelas faculdades de Economia, Direito, Medicina e escolas superiores Pedagógica e Politécnica do Namíbe.
Assim, a região ganha novos gestores de empresas, economistas, juristas, médicos, professores de Biologia, Química, Matemática, Física, Biologias Marinhas e do Magistério Primário, engenheiros ambientais, eléctricos e mecânicos.
José Pedro revelou também que os melhores quadros formados nas diferentes unidades orgânicas são admitidos como professores estagiários nas respectivas áreas de formação, para suprir a carência de docentes na Universidade Mandume-ya-Ndemofayo.

Apelo das autoridades


O vice-governador da Huíla para o Sector Económico, Sérgio da Cunha Velho, apelou aos formados para colocarem à prova o conhecimento adquirido ao longo dos anos de formação, reforçando que a província e o país contam com todos no processo de busca de soluções inovadoras para este contexto macroeconómico difícil que atravessa.
As unidades orgânicas da Universidade Mandume-ya-Ndemofayo, criada em 2009, matricularam, neste ano lectivo, mais de dois mil estudantes, numa altura em que o universo de formandos na VI Região Académica ultrapassa os seis mil discentes.

Tempo

Multimédia