Províncias

Via da Matala a Mulondo em reabilitação

ANDRÉ AMARO | Lubango

A estrada que liga a sede do município da Matala à comuna do Mulondo, numa extensão de 145 quilómetros, já começou a ser asfaltada, informou o administrador municipal Manuel Vicente.

Empresa encarregada da obra trabalha na limpeza da via numa acção que vai durar três anos
Fotografia: Arimateia Baptista|Lubango

A estrada que liga a sede do município da Matala à comuna do Mulondo, numa extensão de 145 quilómetros, já começou a ser asfaltada, informou o administrador municipal Manuel Vicente.
A empresa encarregue da obra tem no terreno o equipamento e as brigadas estão a fazer o trabalho de limpeza da via, numa acção que vai durar três anos.
Esta via é de extrema importância para o desenvolvimento agro-pecuário do município, uma vez que liga a maior potência deste sector, que é a comuna do Mulondo, à sede do município.
Mulondo desempenha um papel importante na economia do município, pelo facto de ser o maior produtor de gado. A estrada também dá acesso a localidades produtoras de cereais e leguminosas.
O administrador da Matala anunciou que, no quadro do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, decorre a constituição de uma brigada de máquinas para reabilitação das vias secundárias e terciárias.
A referida brigada é constituída por um camião cisterna, basculante, máquina escavadora, niveladora e cilindro, que vão efectuar trabalhos de terraplanagem aos acessos e a abertura de passagens hidráulicas. />Esta brigada, que já conta com alguns dos meios referidos, além de reabilitar as vias de acesso também vai prestar apoio às cooperativas agro-pecuárias.

Acesso a Capelongo 

Os camponeses da Matala pediram apoio ao Executivo para a reabilitação e asfaltagem da estrada que liga a sede municipal à comuna de Capelongo, para facilitar o escoamento da produção agrícola.
A preocupação foi manifestada pelo membro da Cooperativa 1º de Maio, Francisco Domingos, que referiu o facto da actividade agrícola no perímetro da Matala estar numa fase de modernização que permite a produção, em grande escala, mas o mau estado das vias tem dificultado o escoamento, o que desmotiva os agricultores.
Até agora, o Executivo já ajudou na construção de um silo, com capacidade para armazenar 12 mil toneladas de cereais, a instalação das câmaras frigoríficas e aquisição de máquinas agrícolas.
Francisco Domingos referiu que os agricultores, ao longo dos 42 quilómetros do canal de irrigação da Matala, têm capacidade para produzir mais de 100 mil toneladas de alimentos por ano.

Tempo

Multimédia