Províncias

Vice-governador destaca importância de correspondentes da Rádio Nacional

Domingos Mucuta | Humpata

O vice-governador da Huíla para a Esfera Política e Social, José Arão Nataniel, considerou ontem, no Lubango, fundamental o papel dos correspondentes municipais dos órgãos de comunicação social, na difusão de informação sobre as acções do Executivo no interior da província.

Profissionais têm possibilitado que as informações sejam divulgadas de forma célere
Fotografia: Jornal de Angola

O vice-governador da Huíla para a Esfera Política e Social, José Arão Nataniel, considerou ontem, no Lubango, fundamental o papel dos correspondentes municipais dos órgãos de comunicação social, na difusão de informação sobre as acções do Executivo no interior da província.
José Arão Nataniel, que falava na abertura do encontro provincial de correspondentes municipais, promovido pela emissora provincial da Huíla, observou que, actualmente,  a informação circula com mais rapidez, graças ao destacamento dos correspondentes nos municípios. “Os correspondentes jogam um papel indispensável. Hoje a informação circula de forma fluida, aprimorada e bem tratada, porque os repórteres têm-se empenhado para noticiar, em tempo real, assuntos relacionados com as realizações do governo e das comunidades da Huíla”, disse José Arão Nataniel. O vice-governador enalteceu a iniciativa da direcção da rádio Huíla em promover formação, treino e uniformização das metodologias de trabalho e técnicas dos jornalistas, por ser imperiosa a actualização constante para corresponder à dinâmica da profissão e da sociedade. Sublinhou que a formação faz com que a informação veiculada nos órgãos de comunicação corresponda às expectativas dos ouvintes, numa altura em que os cidadãos são exigentes e com elevado nível de conhecimento das matérias.
O vice-governador da Huíla lembrou que os meios de comunicação, além de garantirem a informação da opinião pública, são úteis na educação e sensibilização dos cidadãos, para a sua participação nos programas em curso na província.
“A rádio não tem apenas a missão de informar, mas também de educar, recrear,  sensibilizar e promover debates e opiniões, além de ser elo de aproximação entre a comunidade e os governantes. O cumprimento desta tarefa implica domínio de técnicas jornalistas e normas legais, éticas e deontológicas”, frisou. O director da rádio Huíla, Alves António, disse que o encontro visa dotar os correspondentes municipais da Rádio Nacional com novas ferramentas, que permitam exercer com perfeição, destreza, credibilidade e responsabilidade as tarefas do presente e do futuro.
Alves António afirmou que a aposta do conselho da administração da Rádio Nacional de Angola é na formação constante de quadros e a expansão do sinal a todas as localidade do país, com a Huíla a levar a cabo a instalação de repetidoras nos 14 municípios.
Os participantes estão a abordar temas como “O papel do correspondente versus técnicas de redacção e géneros jornalísticos”, “Técnicas de cobertura eleitoral”, “O papel do jornalista no processo de registo eleitoral”, “A lei de imprensa no contexto angolano / comunicação social e democracia”, ministrados por quadros da emissora.

Tempo

Multimédia