Províncias

Vila dos Gambos ligada ao mundo

André Amaro | Lubango

O acesso à Internet e ao telefone celular, que há meia dúzia de anos parecia um luxo impossível para muitos habitantes dos Gambos, é hoje uma realidade. As novas tecnologias de informação e comunicação estão a transformar a vida das pessoas. Os Gambos podem ligar-se ao resto do país e ao mundo através de um simples toque de telefone celular.

Projectos de impacto social permitiram dinamizar a vida na vila de Chiange sede do município dos Gambos
Fotografia: André Amaro|Lubango

O acesso à Internet e ao telefone celular, que há meia dúzia de anos parecia um luxo impossível para muitos habitantes dos Gambos é hoje uma realidade tangível. Com 151.375 habitantes, na sua maioria dedicados à agro-pecuária, os Gambos podem hoje ligar-se ao resto do país e ao mundo através de um simples toque de telefone celular ou por um simples clic no computador.
As novas tecnologias de informação e comunicação estão a transformar a vida das pessoas. O pequeno José Samuel, de 11 anos, residente na vila de Chiange, sede do município dos Gambos, não esconde a sua satisfação por ser um dos utilizadores das novas tecnologias de informação e comunicação.
No seu rosto de menino é enorme a alegria por ter, pela primeira vez, um telemóvel, oferta do pai como prenda por ter passado de classe.
Conta, radiante, que agora, com o sinal da Unitel, fala à vontade e a qualquer hora com os familiares, amigos e colegas que tem espalhados pelo país e pelo mundo.
O pequeno José Samuel disse que nestas férias grandes, além do sinal da Unitel e Internet, está também satisfeito porque o Governo está a fazer outras coisas boas no município, como a construção da escola de 13 salas, onde terminou o ano lectivo.
“Durante o ano lectivo aprendi a manusear o computador, porque na escola nova onde estudei foram instaladas salas de informática com computadores conectados à Internet. Foi também construído um ginásio com equipamentos modernos”, sublinhou.
As novas infra-estruturas escolares, rodoviárias, de telecomunicações, abastecimento de água potável e energia eléctrica e outras que aquela municipalidade ganhou em 2010, mereceram também do camponês António Cangolo palavras de elogio.
Cangolo considera que a vida nos Gambos está cada vez melhor. Já lá vão os tempos em que percorrer por estrada os 22 quilómetros que ligam a comuna de Chibemba à vila de Chiange era um autêntico martírio.
António Cangolo sublinha que antes da reabilitação da estrada, hoje completamente asfaltada, levava cerca de duas horas para percorrer os 22 quilómetros. Actualmente, precisa apenas de 30 minutos para chegar a Chiange de moto. Recorda ainda que devido ao mau estado da estrada, a quantidade de táxis que fazia o percurso Chibemba-Chiange era diminuta, dificultando a circulação de pessoas, as trocas comerciais entre o campo e a cidade e, como consequência, os preços dos produtos básicos disparavam.
“Graças à reabilitação da estrada, produtos básicos como sal, sabão, açúcar, arroz, massas alimentares, frango importado e até o peixe fresco e a cerveja nacional começaram a chegar ao município a preços acessíveis”, disse visivelmente satisfeito.
 
 Projectos de âmbito central

No quadro da implementação de projectos de responsabilidade do Executivo, o município dos Gambos, além da reabilitação completa dos 22 quilómetros do troço Chibemba/Chiange, tem hoje uma morgue e recebe sem problemas o sinal da operadora Unitel.
Para o administrador dos Gambos, Elias Sova, os três empreendimentos, associados aos projectos de âmbito local, permitiram impulsionar o desenvolvimento socio-económico do município.
“Graças à instalação do sinal da operadora Unitel, hoje conseguimos comunicar com o país e com o resto do mundo via telemóvel e através da Internet enviar documentos, receber comunicação e muito mais”, salientou.
Elias Sova sublinhou que a reabilitação da estrada está a facilitar a circulação de pessoas e bens, promover as trocas comerciais entre o campo e a cidade e a atrair mais turistas para o município.
Segundo o administrador municipal, a morgue, construída na comuna da Chibemba, tem capacidade para conservar seis corpos. A estrada nacional que liga à província do Cunene passa pelo interior da vila e os acidentes mortais, por excesso de velocidade, acontecem com alguma frequência.
Elias Sova assegurou que, no âmbito do Programa de Intervenção Municipal (PIM), o principal desafio das autoridades locais, neste ano que começa, diz respeito aos projectos que satisfaçam as necessidades básicas dos 151.375 habitantes do município.
 
Água e Energia

Elias Sova disse que no exercício económico passado, a construção de sistemas modernos de captação, tratamento e abastecimento de água potável e energia eléctrica permitiu melhorar a qualidade de vida de milhares de populares nas diversas comunas e aldeias dos Gambos.
No sector das águas, por exemplo, foi substituída a canalização antiga de metal por outra em pvc, instalados novos contadores nos domicílios e uma nova central de captação na sede, Chiange.
Na comuna da Chibemba, a intervenção consistiu na substituição das condutas, perfuração de dois pontos de água e construção de dois chafarizes. A intervenção feita nas duas comunas permitiu fornecer água potável a dois mil populares, bem como melhorar o saneamento básico.
Em algumas comunas foram abertos furos de água com sistemas de bombagem manuais e solares.
Elias Sova esclareceu que a construção destes sistemas permitiu reduzir doenças como a cólera, diarreias agudas, alergias na pele, febre tifóide e outras causadas pelo consumo de água imprópria.
Permitiu igualmente melhorar o saneamento básico do meio, encurtar as longas distâncias que a população percorria para conseguir o precioso líquido, assim como dar de beber ao gado, em alguns casos.
Quanto ao abastecimento de energia eléctrica, Elias Sova disse que a sede do município foi contemplada com um gerador de 200 KVA, que está a beneficiar 186 famílias. Adiantou que para a manutenção e abastecimento de combustível ao gerador, os beneficiários de energia eléctrica contribuem mensalmente com um valor monetário simbólico.
 O administrador disse que as acções para os próximos tempos estarão voltadas para a reabilitação da rede de transportação e distribuição de energia eléctrica e instalação da iluminação pública na sede do município.
 
Explosão escolar

Ao todo, 13 mil alunos vão frequentar as aulas, do primeiro nível ao ensino médio, no município dos Gambos, no ano lectivo 2011, como resultado das melhorias registadas nas condições de ensino e aprendizagem.
Elias Sova explicou que o município conta com 72 escolas espalhadas em todas as comunas e sectores e algumas delas beneficiaram de obras de reabilitação no ano passado. De acordo com o administrador municipal dos Gambos, para o sector da Educação constam ainda a construção e apetrechamento de duas escolas, sendo uma de oito salas, na povoação do Rio de Areia e outra de seis, na povoação da Caila.
Acrescentou que o ensino é garantido por 602 professores, com formação superior, média e básica. Estes últimos vão participar em aulas de superação antes do início do ano lectivo.
Segundo Elias Sova, no âmbito do Programa de Intervenção Municipal (PIM), a sede do município ganhou este ano uma escola com 13 salas apetrechadas de carteiras, salas de informática, ginásio, biblioteca e compartimentos administrativos.
Apesar do esforço envidado pelas autoridades administrativas para aumentar o número de salas, no novo ano lectivo, quatro mil crianças ficam fora do sistema de ensino, salientou.
Elias Sova anunciou que as autoridades estão a projectar a construção rápida de escolas de oito salas, pelo menos em três comunas.
Ainda para inserção de mais crianças no sistema escolar, a administração dos Gambos prevê o enquadramento de novos professores, admitidos pelo Ministério da Educação no último concurso público.
 
 Saúde

A assistência médica e medicamentosa no município dos Gambos é assegurada por 33 enfermeiros e técnicos de saúde, colocados no Centro Municipal de Saúde e nos 15 postos médicos existentes na região.
O responsável da Repartição Municipal de Saúde dos Gambos, Marcelo Capenda, esclareceu que, apesar de não existir um médico permanente, a situação sanitária do município é estável. Disse que as doenças mais frequentes são a malária, diarreias agudas, má nutrição e tuberculose pulmonar.
 Os casos complicados são transferidos para o Hospital Central do Lubango. Todas as unidades sanitárias estão apetrechadas com medicamentos fornecidos pelo Programa de Medicamentos Essenciais (PME), o que permite um atendimento eficiente aos casos que surgem, disse.
Marcelo Capenda explicou que o centro de saúde presta serviços nas áreas de banco de urgência, clínica geral, pediatria, maternidade, laboratório, consultas pré-natal e tem capacidade para internar 30 pacientes. A repartição municipal, disse, conta com uma ambulância para o transporte de pacientes em estado complicado para o centro municipal ou para os hospitais de referência na cidade do Lubango.
 
Combate à fome
           
 O combate à fome e a redução da pobreza é uma questão que preocupa as autoridades administrativas dos Gambos, que projectam algumas acções de cariz social para os próximos tempos.
Na agricultura prevê-se a aquisição de 20 cabeças de gado bovino e dez charruas para distribuir a cinco cooperativas de camponeses e distribuição de sementes e fertilizantes às famílias mais desfavorecidas.
Elias Sova anunciou para 2011 a abertura na sede do município do primeiro balcão do Banco de Poupança e Crédito (BPC), a extensão do sinal da operadora de telefonia móvel Movicel e outros empreendimentos sociais.

Tempo

Multimédia