Províncias

Violência familiar é tema de debate

Arão Martins | Lubango

O presidente da União de Igrejas Evangélicas em Angola (UIEA), Eduardo Chiquete, defendeu ontem, na cidade do Lubango, maior dinamismo das igrejas na sensibilização das famílias, para se evitarem actos de violência doméstica.

O presidente da União de Igrejas Evangélicas em Angola (UIEA), Eduardo Chiquete, defendeu ontem, na cidade do Lubango, maior dinamismo das igrejas na sensibilização das famílias, para se evitarem actos de violência doméstica.
Eduardo Chiquete fez estas afirmações na abertura do I Encontro Nacional de Obreiros que congrega 150 delegados de 14 províncias do país.  “As igrejas devem sensibilizar e mostrar o verdadeiro amor para que não haja dificuldades no relacionamento familiar”, defendeu o evangélico, que considerou notáveis os esforços do Governo no sentido de combater os actos de violência registados nas capitais provinciais, sedes municipais e aldeias.
Para ele, a violência doméstica tem a ver com a falta de bom relacionamento familiar e de comunicação. Disse ainda que a desestruturação familiar provoca a falta de harmonia e a alteração comportamental e as crianças tomam um rumo não desejado, enquanto o núcleo familiar perde consistência.  Eduardo Chiquete lamentou que as igrejas estejam a ser invadidas por influências estrangeiras e pediu aos obreiros para preservarem os princípios doutrinários que orientam os evangélicos.

Tempo

Multimédia