Províncias

Idosos recebem apoio

Delfina Victorino | Cuito

Idosos do lar da terceira idade “Elavoko ly Omuenho”, na cidade do Cuito, província do Bié, receberam na segunda-feira bens alimentares diversos não perecíveis, uma doação dos missionários brasileiros pertencentes á Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Fotografia: JAIMAGENS

Dos bens entregues, consta arroz, açúcar, sabão, óleo, massa alimentar e  frescos. Um grupo de mulheres membros da Igreja Adventista, incluindo missionários brasileiros, deslocou-se à cidade do Cuito com o objectivo de realizar uma “mega campanha de evangelização”, durante dez dias em várias localidades da província, e aproveitou o momento para conviver com os idosos do lar.
Durante quatro horas de convívio, os membros da igreja transmitiram mensagens de esperança e prometeram ajudar com bens materiais e gestos morais sempre que for possível, com vista à redução dos problemas que afligem os idosos.
O pastor e responsável da caravana brasileira de missionários adventistas, Manuel Chaves, disse ser fundamental o apoio da população aos idosos, pelo facto de serem as pessoas que ajudaram a construir a sociedade actual, salientando que a sociedade actual é reflexo do passado criado por pessoas que também já foram jovens.
Manuel Chaves diz que a responsabilidade da igreja não é apenas a pregação da palavra, mas também actuação de forma social, desde a preservação do meio ambiente, os cuidados com os órfãos, viúvas e idosos, à criação de estruturas hospitalares e escolares.
O pastor brasileiro elogiou a qualidade e a dimensão da estrutura do lar “Elavoko ly Omuenho”, erguida pelo Executivo angolano para hospedar pessoas da terceira idade no Bié. O director do lar, Caridade Massoli, manifestou satisfação pelo apoio recebido, recordando que nesta época difícil os bens recebidos vão, com certeza, melhorar a dieta alimentar dos idosos e espera que haja mais visitas, que ajudam na terapia dos anciãos.
Caridade Massoli classificou que a visita de missionários brasileiros da Igreja Adventista  demonstra o interesse humano e de solidariedade, para além dos convénios existentes entre os governos e as igrejas  dentro das políticas de actuação.
O responsável do lar disse que para minimizar a carência por que passam  os anciãos, optou-se pela prática da agricultura no lar e, com isso, reconheceu que foi possível evitar a compra de muitos produtos, facilitando a soma de recursos.
Neste momento, mais de três hectares de terra estão a ser preparados  no interior do centro dos idosos para a práctica da agricultura.

Tempo

Multimédia