Províncias

Imunização contra a pólio abrange milhares de bebés

Kamuanga Júlia | Saurimo Jesus Silva | Lobito e Daniel Benjamim | Luena

Milhares de crianças estão a ser vacinadas contra a poliomielite na Lunda-Sul, no Bocoio (Benguela) e no município de Camanongue (52 quilómetros a norte da cidade do Luena, no Moxico), durante a campanha iniciada sexta-feira, com término previsto para amanhã.

Fotografia: DR

Na Lunda-Sul, por exemplo, estavam disponíveis acima de 136 mil doses, para uma cobertura na ordem de 118 mil crianças.
O director do Gabinete Provincial da Saúde, Viegas António, disse que foram criadas 494 equipas, entre vacinadores, registadores, mobilizadores e jovens escuteiros, apoiadas por 18 viaturas e 50 motociclos.
Segundo o técnico do UNICEF, Rui Carlos, a província da Lunda-Sul notificou, desde o início deste ano, um caso de pólio, no bairro suburbano de Candembe, garantindo que a situação está controlada.
Entre as contribuições dadas para o sucesso da campanha, acentua-se a necessidade das autoridades reforçarem o controlo nas zonas de actuação, bem como responsabilização de igrejas que insistirem em práticas para evitar a adesão ao programa de vacinação.

Postos fixos no Bocoio
A segunda ronda da campanha de vacinação contra a pólio, aberta sexta-feira no município do Bocoio, região norte da província de Benguela, vai imunizar cerca de 35 mil crianças, dos zero aos cinco anos. De acordo com o director municipal da Saúde, Nicolau Cilongua, as condições estão criadas há cerca de um mês e a campanha terá lugar em todo o território do município.
Nicolau Cilongua apelou aos pais e encarregados de educação e à população em geral, a aderirem à campanha, levando as crianças aos locais onde estarão fixados os postos, de modo a garantirem o êxito da campanha.
A campanha tem como objectivo imunizar as crianças daquela localidade, tendo em conta o caso de poliomielite que recentemente foi detectado na província do Huambo, pelo Ministério da Saúde, bem como reforçar o bloqueio, com vista a garantir uma vida saudável aos menores.

Vacinação porta-a-porta
em Camanongue
Pelo menos 7.801 crianças, dos zero aos cinco anos, estão a ser vacinadas contra a poliomielite no município do Camanongue, 52 quilómetros a norte da cidade do Luena, província do Moxico.
A administradora municipal do Camanongue, Ana Tchipopia, disse que o surgimento de novos casos de poliomielite nas províncias da Lunda-Norte e do Sul, durante o primeiro semestre do ano em curso, constitui emergência de saúde pública em Angola, particularmente na Região Leste
Ana Tchipopia afirmou que o município de Camanongue, por fazer fronteira com a província da Lunda-Sul, foi abrangido, pelo Ministério da Saúde, pela campanha de vacinação que termina hoje, para prevenir eventuais casos.
Segundo a administradora, a campanha, que envolve 27 equipas, cada uma composta por três vacinadores, vai abranger quatro áreas de coordenação, nomeadamente Sambavo, Musserigenge, Muacandala e Loco.
As equipas, acrescentou, estão orientadas a passar de porta em porta, pátios de igrejas, mercados e em outras localidades circunvizinhas da província da Lunda-Sul.
Ana Tchipopia anunciou que está prevista, nos dias 4, 5 e 6 de Outubro, a segunda ronda da campanha de vacinação, apelando aos pais no sentido de facilitarem o trabalho dos vacinadores, para que nenhuma criança fique sem ser vacinada.
O chefe de Departamento da Saúde Pública no Moxico, Isabel Sonhi, disse que o objectivo da campanha de vacinação é proteger as crianças dos zero aos cinco anos, tendo em conta o surto de poliomielite que assola a vizinha província da Lunda-Sul.
Isabel Sonhi afirmou que o surgimento deste surto não constitui apenas uma preocupação da Direcção Nacional da Saúde Pública, mas, também, da comunidade internacional, que se faz representar nesta campanha pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
A presente campanha de vacinação, acrescentou, está confinada apenas ao município de Camanongue, tal como a que tinha acontecido no município fronteiriço do Luau, quando a vizinha província da Lunda-Norte foi assolada com o surto de poliomielite, no ano passado.

Tempo

Multimédia