Províncias

Incentivada a doação de sangue

Weza Pascoal | Menongue

Os familiares de doentes internados continuam a ser os principais dadores de sangue, para acudir aos casos de transfusões no Hospital Central de Menongue, revelou ontem a chefe da hemoterapia da  unidade sanitária.

Estão a ser traçadas novas estratégias para reforçar o stock de sangue no Cuando Cubango
Fotografia: Nicolau Vasco

Vitória Sachilombo, que falava na conferência provincial sobre a problemática da doação de sangue, disse que das 595 doações, pelo menos 157 foram incompatíveis por diversas doenças, com realce para 19 por contaminação do HIV. “O hospital recebeu durante o período em análise um total de 595 doações de sangue, das quais 438 são de familiares de pacientes que sofreram transfusões”.
Na sua intervenção, a chefe da hemoterapia deixou claro que “receber sangue através de uma transfusão pode significar a diferença entre viver e morrer”, referiu para adiantar que, no Cuando Cubango, não existe sangue sintético produzido nos laboratórios e, por este facto, as unidades sanitárias têm estado a contar com a boa vontade de dadores voluntários.
Na conferência, foram abordados temas como “A Problemática da Doação de Sangue no Cuando Cubango”, “Conhecimentos e Mitos que Existem Sobre a Doação de Sangue Benevolente e Voluntária em Angola”, “O Marketing Social na Doação de Sangue” e “A Comunicação Social como Veículo de Sensibilização da Comunidade sobre a Importância da Doação de Sangue”. O coordenador da actividade e membro da Brigada Jovens Solidários, Manuel Veloso, disse que a organização é considerada a principal plataforma de doação de sangue em Angola, dai estar a potenciar as unidades sanitárias, no sentido de terem as áreas de hemoterapia com sangue suficiente para atender os pacientes com necessidade de transfusão.
Por este motivo, foi criado o projecto “Dê Amor, Doe Sangue e Compartilhe a Vida”, que consiste na realização de palestras e conferências, no sentido de sensibilizar e mobilizar as comunidades para aderirem à causa, disse o coordenador Manuel Veloso. O vice-governador provincial  para o sector Político e Social, Pedro Camelo, reconheceu o papel que a Brigada Jovens Solidários desempenha em todo o país e daí apelar para outras instituições seguirem o exemplo deste grupo.
“Os bancos de sangue dos hospitais trabalham quase sempre limitados e nunca estão totalmente abastecidos, para fazer face à procura, daí o contributo da brigada na sensibilização dos que estão em condições de doar sangue e ajudam a salvar mais vidas”.
Na ocasião, foram empossados os membros do secretariado provincial da Brigada Jovens Solidários do Cuando Cubango, sendo Azevedo Vieira o novo secretário executivo.

Tempo

Multimédia