Províncias

Índice de violência no lar diminui na Huíla

Arão Martins | Lubango

Pelo menos 832 casos de violência doméstica foram registados, no ano passado, pela Direcção Provincial da Huíla da Família e Promoção da Mulher.

Pelo menos 832 casos de violência doméstica foram registados, no ano passado, pela Direcção Provincial da Huíla da Família e Promoção da Mulher.
Os dados foram revelados pela directora provincial, Amélia Metódio, que adiantou que a cifra representa uma redução de 388 casos em relação a 2008.
Amélia Metódio disse que a redução de casos se deve ao árduo trabalho dos quadros da direcção, igrejas, sociedade civil e dos media que têm transmitido mensagens desencorajadoras de práticas que violam os direitos das pessoas.
Os dados revelam igualmente que foram registados casos de fuga à paternidade, falta de assistência, ofensas corporais, acusação de prática de feitiçaria, desalojamento, abandono de menores e de lares, incesto, privação de menores, separação de casais, entre outros, nos quais foram vítimas 600 mulheres. Apesar da diminuição do número de casas, a responsável considera que muito trabalho tem ainda ser feito para se combater o fenómeno. Nesse sentido, este ano a província vai aumentar as acções de sensibilização, já que, na sua opinião, as acções de combate à violência no género são da responsabilidade de toda a sociedade civil.
Falando num acto alusivo à jornada Março Mulher, disse ainda ser importante que mulheres e homens saibam exactamente quais as consequências legais para quem pratica actos deste tipo.
No âmbito da jornada Março Mulher, em curso em todo país, várias actividades, entre as quais campanhas de sensibilização contra a violência no lar, estão a ser realizadas em diferentes províncias.
Estas acções são organizadas pelo Ministério da Família e Promoção da Mulher (MINFAMU) em colaboração com as direcções provinciais da Organização da Mulher Angolana (OMA). A violência doméstica está entre as principais preocupações do referido ministério.

Tempo

Multimédia