Províncias

Inquérito no Cunene sobre indicadores múltiplos e de saúde

Dionísio David | Ondjiva

O processo de inquérito à população da província do Cunene sobre os indicadores múltiplos e de saúde, iniciado em Outubro do ano passado, decorre de forma satisfatória, ao alcançar 90 por cento da meta preconizada, informou ontem o supervisor da equipa que leva a cabo o programa.

Douriano Luís Artur, que falava na localidade de Onangwa, município de Namacunde, disse que, apesar de algumas dificuldades face às distâncias que separam as habitações, o processo de inquérito tem vindo a conhecer melhorias graças à boa colaboração das autoridades tradicionais e pela prontidão das famílias em receber as equipes de inquiridores.
Para a província do Cunene, o supervisor referiu que foram indicados pelo Instituto Nacional de Saúde um total de 30 conglomerações familiares, pelo que, desde Novembro, as equipas já trabalharam em 26 aldeias, faltando apenas quatro por inquirir.
O inquérito de indicadores múltiplos e de saúde é um processo que decorre em todo o país, quer nos centros urbanos, quer nas aldeias. Nestas últimas é inquirido um agregado de 26 famílias e seleccionadas 13 para testes da malária e de anemia às crianças dos zero aos cinco anos. Noutro agregado são seleccionadas 13 famílias, para testes de VIH/Sida em homens com idades entre os 15 e 44 anos e em mulheres dos 15 e 49 anos, explicou o Eduardo Haymba, responsável para a área da saúde das equipas de inquiridores.

Tempo

Multimédia