Províncias

Inseminação artificial de gado bovino

Armando Sapalo |Dundo

Um centro de inseminação artificial para a melhoria das espécies animais e o aumento da produção de carne é instalado, ainda este ano, no perímetro agro-pecuário do Calonda, município do Lucapa, revelou ao Jornal de Angola o director provincial da Agricultura, o engenheiro agrónomo José Mendes.

O projecto contempla mangas de vacinação para milhares de cabeças de gado bovino
Fotografia: Armando Sapalo


Além da central de inseminação artificial, referiu, projecta-se a montagem de um laboratório de nutrição animal, uma inovação técnica no sector agro-pecuário da Lunda-Norte. José Mendes disse que a inseminação artificial marca uma nova era na actividade pecuária da região, por ser determinante para o incremento dos níveis de produtividade, enquanto a implantação de um laboratório de nutrição animal é fundamental para o conhecimento dos parques naturais, destinados ao pasto.
Com este projecto, disse o responsável, a produção de carne pode atingir as 100 toneladas por ano e vai criar mais de 55 mil cabeças de gado bovino, assim como reabilitar e modernizar as antigas infra-estruturas agro-pecuárias da então Companhia de Diamantes de Angola, Diamang.

Criação de mais empregos

O Projecto Calonda começou a ser revitalizado em 2012 pela Kapilongo, uma empresa brasileira especializada em gestão de projectos agro-pecuários e aguarda financiamento do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), avaliado em mais de 200 milhões de kwanzas. Desde 2012 que conta com mais de 80 mil cabeças de gado bovino.  O projecto ocupa um espaço de 150 mil hectares, destinados à criação de várias fazendas de grande, média e pequena dimensão em três fases. A primeira prevê 22 fazendas de 1.500 hectares cada, dotadas de instalações modernas, como matadouro, parques de maneio, oficinas e, sobretudo, mangas de vacinação com capacidade para 800 cabeças de gado bovino.
A fase de produção arranca com 500 cabeças de gado e proporciona 600 postos de trabalho directos e 200 indirectos. José Mendes informou que o Projecto Calonda vai ter também uma componente industrial com a produção em grande escala de derivados pecuários, como chouriço, presunto e outros enchidos, sublinhando igualmente a produção de milho, soja, além da tradicional cultura da mandioca.
O projecto vai fortalecer e contribuir para a diversificação e fortalecimento da economia e reduzir os níveis de pobreza no seio de muitas famílias de Calonda, onde muitos jovens perderam os empregos com a paralisação das empresas diamantíferas”, adiantou José Mendes, referindo que a produção de cana-de-açúcar também está nos planos.

Tempo

Multimédia