Províncias

Inspecção aumenta combate a unidades sanitárias ilegais

Várias unidades sanitárias ilegais estão a operar no município da Matala, a 180 quilómetros a Leste do Lubango, na província da Huíla, denunciou ontem, naquela localidade, o chefe do departamento de Inspecção da Direcção Municipal da Saúde.

Objectivo é fazer com que a população tenha assistência médica em locais seguros
Fotografia: Arimateia Baptista | Huíla- Edições Novembro

Daniel Zacarias explicou que o município da Matala controla apenas seis unidades sanitárias privadas que exercem as suas actividades legalmente, reconhecidas pelo Ministério da Saúde, mas existem outras tantas em actividade ilegal.
Disse que há um trabalho aturado para descobrir estas unidades e encerrá-las, pois afiguram-se como um perigo para a saúde pública. O responsável fez saber que a instituição também tem trabalhado na ­fiscalização das actividades das 24 unidades sanitárias públicas construídas pela administração municipal, no âmbito dos serviços municipalizados de saúde.
Daniel Zacarias assegurou que a instituição vai continuar a trabalhar no controlo e fiscalização das actividades dos estabelecimentos comerciais, farmácias, unidades sanitárias públicas e privadas, no sentido de prevenir-se crimes e promover melhores condições de trabalho, nos domínios da saúde, segurança e higiene laboral.
 Matala tem uma população estimada em 249 mil habitantes, sendo o segundo município mais populoso da província da Huíla, a seguir ao Lubango, segundo dados do censo geral da população.

Tempo

Multimédia