Províncias

Instituição lança campanha de recolha de livros diversos

Estácio Camassete | Huambo

Uma megacampanha de recolha de livros está a ser realizada, até o próximo dia 8, pelo Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED), no Huambo, com vista a apetrechar a biblioteca da instituição.

Com a campanha, iniciada a 27 de Outubro, a direcção do ISCED pretende que pessoas de boa fé, quer sejam singular ou colectivas, empresas e instituições estatais e privadas doem material didáctico, livros e obras de todo tipo de conhecimento, para ajudar na restauração da biblioteca.
A campanha realiza-se no âmbito das III Jornadas Científicas do ISCED do Huambo, celebradas sob lema “Cultura Institucional, Garantia para a Qualidade de Ensino na Formação de Professores”, explicou o decano do instituto.
Mário da Costa Rodrigues lembrou que, no âmbito da política do Executivo de crescimento e do plano de desenvolvimento institucional, consta a promoção e a criação de condições para a realização de actividades científicas.
O evento visa dinamizar a produção científica, divulgar os resultados que foram alcançados em termos de formação académica e a ­difusão da ciência através da pesquisa e extensão universitária. “Estamos a recolher bibliografia de todas as áreas do conhecimento, desde académicos a científicos, poesias e de diferentes níveis de ensino, de forma a recolher o maior número para a nossa biblioteca e oferecer maior informação aos leitores, porque este local recebe gente de todas as idades”, realçou o decano.
Mário Rodrigues considerou que o momento vai servir igualmente de ponto de reencontro de antigos estudantes do Instituto Superior de Ciências de Educação, dai apelar para que estes doem um exemplar das suas monografias, para servir de consultas para os futuros e actuais discentes.
O decano disse que o processo de recolha é muito importante, tendo em conta que “muita gente tem livros de grande valor académico e científico, mas sem utilização,  colocados apenas nas prateleiras. Se os doarem à biblioteca do ISCED, os manuais vão ser mais valorizados.”
“Portanto, pretendemos, com isso, valorizar grande parte das obras científico”, disse o reitor.
Desde a sua reabertura, em 2001, o Instituto Superior de Ciências da Educação do Huambo (ISCED) já licenciou mais de três mil estudantes em diferentes cursos.

Tempo

Multimédia