Províncias

Instituto lança inquérito de indicadores múltiplos

Lourenço Bule | Menongue

O Instituto Nacional de Estatística (INE) iniciou na cidade de Menongue o lançamento do Inquérito Nacional de Indicadores Múltiplos e de Saúde (IIMS), em acto testemunhado pelo vice-governador para a Esfera Política e Social, Pedro Camelo.

A iniciativa que decorre em todo o país tem como objectivo obter informações actualizadas e detalhadas sobre a fecundidade, mortalidade materno-infantil, saúde reprodutiva, prevalência do VIH/Sida e outras doenças sexualmente transmissíveis, bem como malária, anemia e violência doméstica.
A campanha vai permitir a recolha de dados para a concretização dos compromissos nacionais e internacionais, com o propósito de apoiar o país na apreciação do seu progresso em direcção aos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, bem como monitorizar e avaliar o Plano Nacional de Desenvolvimento Sanitário 2012-2025 e o Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-2017.
A directora provincial do Instituto Nacional de Estatística (INE), Debora Ferro, disse que foram admitidos dez técnicos para a campanha a nível da província, sendo oito inquiridores, um motorista e um cartógrafo, que durante três meses vão trabalhar na recolha de informações.
O inquérito abrange as zonas mais populosas da província, onde são seleccionadas algumas residências, que, a partir dos agregados familiares, permitem aos técnicos terem os indicadores do índice demográfico de uma determinada região, aldeia ou bairro.
Os inquiridores vão obter informações sobre as tendências de fecundidade, mortalidade infantil e juvenil, factores determinantes da sua evolução, medição das taxas de conhecimento e prática de contraceptivos, o número ideal de crianças, a atitude face ao planeamento familiar e a recolha de dados sobre a saúde materno-infantil.
“Cada técnico seleccionado para a concretização do IIMS tem como tarefa inquirir duas ou mais casas por dia”, disse, acrescentando que o processo de auscultação e recolha de amostras de sangue para análise é demorado.

Apoio garantido

O vice-governador para o sector político e social, Pedro Camelo, garantiu, em nome do governo da província, prestar todo o apoio necessário para que esta actividade seja bem sucedida.
“Com a realização do IIMS, o Executivo angolano, em particular o governo local, vai poder traçar melhor os programas de acordo com as necessidade dos populares e acções a desenvolver para o combate cerrado às doenças sexualmente transmissíveis e outras que têm vindo a ceifar várias vidas”, salientou.

Tempo

Multimédia