Províncias

Instituto Médio Agrário outorga diplomas a técnicos

José Chaves | Andulo

O mercado de trabalho na província do Bié conta com mais 113 técnicos de Mecânica, Produção Vegetal e Animal, formados pelo Instituto Médio Agrário do município do Andulo.

Vista parcial da cidade do Andulo onde o mercado de trabalho foi reforçado com mais técnicos formados pelo Instituto Médio Agrário
Fotografia: Edson Fabrízio | Bié

O director do Instituto Médio Agrário do Andulo, António Sicato, considerou, ontem, satisfatória a qualidade académica e profissional dos novos quadros colocados à disposição do mercado de trabalho. Entre os formados, 80 são técnicos médios, cuja formação durou quatro anos, e 33 são técnicos básicos, que tiveram três anos de formação.
António Sicato anunciou que no próximo ano lectivo o Instituto Agrário do Andulo pretende leccionar mais dois cursos: um de recursos florestais e outro de transformação e conservação de produtos, para facilitar o ingresso de mais alunos e aumentar a formação de trabalhadores no sector da Agricultura e Desenvolvimento Rural.
Desde a sua fundação, o Instituto Agrário já lançou para o mercado de trabalho cerca de 800 estudantes. No presente ano lectivo estavam matriculados 447 alunos.
Os quadros foram formados nas áreas de produção vegetal, animal e mecanização agrícola e encontram-se actualmente inseridos em várias universidades e projectos agrícolas em curso na província e noutras regiões do país.
António Sicato garantiu que a instituição dispõe de todas as condições técnicas e pedagógicas.
O Instituto Médio Agrário do Andulo é uma referência  na formação de técnicos básicos de Mecanização Agrícola e técnicos médios de Produção Animal e Vegetal.
Criado em 2008 pelo Executivo, o instituto tem capacidade para 1.440 alunos.  As instalações têm 18 salas para aulas teóricas e seis laboratórios de Física, Química, Biologia, Informática e Zootecnia, devidamente apetrechados com equipamentos modernos. 
Além da componente teórica, os estudantes também recebem aulas práticas, ministradas em campos agrícolas cultivados por eles. Esta componente tem um aviário para a produção animal. O empreendimento dispõe de um campo de mais de 200 hectares para as práticas agrícolas, um internato com capacidade para mais de 200 alunos e um anfiteatro com 160 lugares.

Bilhete de Identidade é tratado em Chitembo

Um total de 399 pessoas obtiveram de forma gratuita o Bilhete de Identidade no município de Chitembo, 150 quilómetros a sul da cidade do Cuito,  durante o mês de Novembro, informou ontem o chefe do posto de Identificação Civil e Criminal daquela municipalidade.
Moisés Sachivinda explicou que o processo tem como objectivo ajudar as pessoas que não dispõem de recursos financeiros. Os documentos foram tratados à luz do Decreto Presidencial n.º 80/2013, que isenta de emolumentos crianças e cidadãos que tratem pela primeira vez o Bilhete de Identidade.
Em relação ao mesmo período anterior, disse Moisés Sachivinda, registou-se um aumento de 82 pessoas, salientando que a acção deveu-se à sensibilização da população, que a instituição e a Administração Municipal realizam nas comunidades, sobre a importância de tratar do Bilhete de Identidade.

Tempo

Multimédia