Províncias

Instituto Médio Politécnico abre dentro de seis meses

Justino Vitorino | Caála

O município da Caála, na província do Huambo,  dispõe, dentro de seis meses, de um Instituto Médio Politécnico,  erguido na comuna de Catata, anunciou ontem o administrador local.

Município da Caála tem registado nos últimos tempos bons níveis de progresso principalmente nos sectores da Educação e da Saúde
Fotografia: Francisco Lopes | Huambo

Victor Tchissingui referiu que a escola, com 20 salas de aula, tem as obras em fase conclusiva e  dispõe de  capacidade para albergar mais de dois mil alunos.
No quadro do programa de aumento e melhoramento de serviços, o administrador municipal ressaltou que, até ao momento, a Caála conta com 463 salas de construção definitiva e 628 provisórias, além de 180 salas comunitárias.
Referiu que dentro de seis meses, os munícipes vão beneficiar de 127 salas, que albergam cerca de 15 mil alunos do ensino primário.
“A Administração Municipal da Caála  distribuiu seis mil chapas de zinco e outros materiais para contribuir na inserção de mais alunos no sistema de ensino”, disse Victor Tchissingui.
No presente ano lectivo, foram matriculados, da iniciação ao ensino secundário, 111.259 alunos, contra os cerca de 90 mil do ano passado, esclareceu o administrador municipal, que acrescentou que a secção municipal da Educação controla 2.267 professores em todos os níveis e, anualmente, são reformados cerca de 60 docentes.
Victor Tchissingui anunciou  que o município vai ganhar outras infra-estruturas sociais nos próximos seis meses, no âmbito das acções que visam melhorar a imagem da vila e a vida dos munícipes. O administrador municipal falava no quadro das festas dos 46 anos da vila da Caála, que decorrem desde sábado, e salientou que o Governo Provincial do Huambo e os seus parceiros sociais  continuam a trabalhar para reforçar os serviços básicos à população.
Sob o lema “Caála- 46 anos, Rumo ao Progresso e Inclusão Social, Firme nas Comemorações dos 41 anos da Independência Nacional”,   as festas incluem inaugurações de infra-estruturas nas  comunidades.
Apesar das dificuldades que a  municipalidade enfrenta, por causa da crise financeira, Victor Tchissingui destacou vários avanços nos sectores da saúde, fornecimento de energia eléctrica, água potável, indústria, habitação, rede bancária, hoteleira, turismo e desporto.
O administrador municipal realçou a entrada em funcionamento do Balcão Único do Empreendedor, que   permite o fomento da cultura empreendedora, principalmente nos jovens que procuram dar o seu contributo ao desenvolvimento do município. Sobre a actividade económica, Victor Tchissingui disse que, fruto da nova dinâmica que o município  regista, surgiram na sede municipal várias lojas, cantinas, hotéis, restaurantes, pensões, supermercados e outros estabelecimentos que garantem o desenvolvimento do turismo. Outro sinal positivo a nível da Caála, referiu  Victor Tchissingui, é reabilitação das estradas.

Ganhos na Saúde


Sobre a assistência médica, Victor Tchissingui apontou a retoma do funcionamento, para breve, do bloco operatório do Hospital Municipal da Caála, paralisado há dois anos.
 A rede sanitária, constituída por um Hospital Municipal, com capacidade para internar 200 doentes, 27 outras unidades, entre centros e postos de saúde, está distribuída pelas comunas de Catata, Cuima, Calenga,   povoações de Ngolo, na aldeia Cassupi, Cantão Paula, Ngove e noutras localidades.
Victor Tchissingui referiu que centenas de trabalhadores, entre médicos, enfermeiros, técnicos auxiliares e gerais, pessoal de apoio hospitalar, asseguram o funcionamento do sector da Saúde na Caála.
Para reduzir estas patologias, a administração local, em parceria com algumas ONG,  incentiva a população a construir  latrinas e a usar  mosquiteiros para crianças menores de cinco anos e mulheres grávidas.
“Todos os postos e centros de saúde são abastecidos regularmente com medicamentos e outros meios”, disse Victor Tchissingui, que apontou a falta de  médicos especializados e ambulâncias como as principais dificuldades.

Vias de comunicação

Quanto à rede viária e de comunicações, a Administração Municipal disponibilizou cerca de 11 milhões de kwanzas, para obras de reabilitação e terraplenagem das vias terciárias. Com as obras em curso, todas as comunas e ombalas do município vão ter as vias melhoradas, indispensáveis à circulação e ao desenvolvimento do comércio e agricultura, salientou Victor Tchissingui. Com uma população de 200 mil habitantes, o município da Caála é potencialmente agrícola e, em tempos idos, foi considerado o “Rei do Milho” pelos seus enormes silos que guardavam o grão, a principal fonte de alimentação da população planáltica.

Tempo

Multimédia