Províncias

Instituto Nacional de Estradas de Angola sem dinheiro para montagem de pontes

João Silva | Dundo

A direcção provincial da Lunda-Norte do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA) está com dificuldades de adquirir material e contratar técnicos para a montagem das pontes sobre os rios Luxico e Cuilo, por falta de verbas.

 

A direcção provincial da Lunda-Norte do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA) está com dificuldades de adquirir material e contratar técnicos para a montagem das pontes sobre os rios Luxico e Cuilo, por falta de verbas.
O director provincial do INEA, Victor Tavira, disse ao Jornal de Angola que a província necessita, para as duas empreitadas, de 40 mil dólares, sendo vinte mil para cada ponte.
Segundo Victor Tavira, a ponte sobre o rio Luxico, com algum material de montagem já no local, há dois anos, tem quarenta e dois metros de comprimento, sete de largura e uma capacidade de suportar trinta e cinco toneladas.
A ponte sobre o rio Cuilo, também com algum material concentrado no local, desde Outubro do ano transacto, tem quarenta e dois metros de comprimento, sete de largura e capacidade de suportar cinquenta e duas toneladas.
O INEA na Lunda-Norte não dispõe de técnicos especializados em montagem de pontes e para esses trabalhos tem estado a recorrer aos especialistas da Lunda-Sul e Luanda, que são contratados, “quando temos verbas”.
Victor Tavira sublinhou que a sua instituição continua a aguardar pelos recursos financeiros a serem alocados, pelos governo da província e a direcção geral do INEA, e que, logo que sejam disponibilizadas as verbas, será adquirido o material em falta e feita a contratação de técnicos, para a montagem das duas infra-estruturas.
“Contactos já foram feitos com o governo local e a direcção geral do INEA. Há garantias de que, nos próximos tempos, a verba será disponibilizada”, sustentou o responsável.
Com a montagem da ponte sobre o rio Cuilo, o INEA promete dar início aos trabalhos de oitocentos metros de terraplanagem da via que dá acesso à ponte do rio Fotongo, para permitir o transporte de materiais para os municípios vizinhos.
Neste momento, o INEA está a trabalhar com a Administração municipal do Cuango, na terraplanagem do troço rodoviário entre a sede do Cuango e a vila mineira do Cafunfo.
Além de falta de recursos financeiros, o INEA local enfrenta dificuldades em máquinas diversas e outros equipamentos, “porque os que se encontram no seu estaleiro pertencem ao governo da Província”.

Tempo

Multimédia