Províncias

Invisuais aprendem noções de negócios

Carlos Bastos | Sumbe

A Associação Nacional dos Cegos e Amblíopes de Angola (ANCAA) promove no Sumbe, Cuanza-Sul, uma acção formativa sobre empreendedorismo, para pessoas com deficiência visual.

Fotografia: Jaimagens

Na abertura da formação, a secretária nacional da ANCAA para Saúde e Acção Social, Madalena das Neves, disse que a instituição quer formar os seus filiados, para que tenham o seu próprio sustento e uma vida condigna.
Madalena das Neves afirmou que a ANCAA é uma instituição que não quer acomodar os seus membros, dando-lhes sempre cesta básica. “Eles têm que ter uma formação no que tange ao empreendedorismo, com o intuito de criarem o seu próprio negócio”. Acrescentou que no final da formação a Asso- ciação Nacional dos Cegos e Amblíopes de Angola vai conceder kits profissionais, “porque muitos dos filiados se lhes derem dinheiro vão gastá-lo com outras coisas”.
Madalena das Neves defende maior celeridade na aplicação da Lei 10/16, de 27 de Julho, das acessibilidades, a Lei 137, que concebe o Conselho da Acção Social da Criança e das Pessoas com Deficiência, assim como outras legislações que aprovam a estratégia de intervenção para inclusão social.
Cuanza-Sul é a segunda província contemplada com acções formativas promovidas pela ANCAA, depois de Luanda.

Tempo

Multimédia