Províncias

Jovem abandona venda ambulante e aposta na formação profissional

Vitória Francisco Cabingano tem 34 anos e é a única mulher que frequenta as aulas no Centro de Formação Profissional do Kuito, na especialidade de serralharia. 

Vitória Cabingano a única mulher que está a aprender serralharia
Fotografia: Fula Martins

Vitória Francisco Cabingano tem 34 anos e é a única mulher que frequenta as aulas no Centro de Formação Profissional do Kuito, na especialidade de serralharia.  Mãe de cinco filhos, está há quatro meses no centro e já aprendeu a fazer fogareiros, grelhas, blocos, portas, janelas e gradeamentos.
Vitó, como é carinhosamente tratada pelos colegas, disse à nossa reportagem que antes de frequentar o curso de serralharia fabricava gelados de múcua que depois vendia nas principais artérias da cidade do Kuito, particularmente nas escolas e creches.

"Quero participar na reconstrução"

“Antes de vir fazer o curso eu produzia gelados de múcua e mandava os meus filhos vender no mercado e nas escolas”, disse a jovem que deciciu apostar na formação profissional.
A serralheira assegurou que quando terminar a sua formação está disposta a trabalhar em qualquer empresa do ramo da construção civil. “Quero participar na reconstrução da cidade do Kuito que sofreu os horrores da guerra”, disse Vitó.
Vitória Francisco Cabingano referiu que escolheu o curso de serralharia sem influência de ninguém, apenas “porque gosto de trabalhos que exigem habilidade manual”.
Para já faz portas, janelas, gradeamentos, grelhas e fogareiros. 
Quando concluir o curso, Vitória assegura que fica apta a trabalhar em qualquer empresa, ou por conta própria, se tiver financiamentos para constituir uma empresa.

Tempo

Multimédia