Províncias

Jovens aplaudem programas de combate ao desemprego

Jovens da cidade de Ondjiva, província do Cunene, aplaudiram, segunda-feira, o esforço que o Governo angolano tem envidado na criação de pavilhões de artes e ofícios, proporcionando-lhes conhecimentos profissionais para a obtenção do primeiro emprego.

Jovens da cidade de Ondjiva, província do Cunene, aplaudiram, segunda-feira, o esforço que o Governo angolano tem envidado na criação de pavilhões de artes e ofícios, proporcionando-lhes conhecimentos profissionais para a obtenção do primeiro emprego.
Numa ronda efectuada pela Angop a diversos centros de formação profissional, alguns jovens foram unânimes em reconhecer que a política governamental neste sentido demonstra a vontade do executivo no combate ao desemprego, no seio da juventude. Frederico Octávio, que frequenta aulas de formação na especialidade de carpintaria, disse que esta formação é uma oportunidade dada pelo Governo, uma vez que a mesma é grátis e referiu que assim que terminar estará em condições de arranjar o seu primeiro emprego. Quem partilha da mesma opinião é Edgar Vicente, que está a formar-se em serralharia. A fonte disse que para além desta oportunidade, junta-se ainda o programa “Angola Jovem”, que tem contribuído para a satisfação das principais necessidades dos jovens.

Admissão de quadros para Educação e Saúde

Pelo menos 1.141 processos de admissão de novos trabalhadores para os sectores da Educação e Saúde no Moxico foram ratificados terça-feira, na cidade do Luena, pelo presidente do Tribunal de Contas, Julião António.  Para a Educação foram ratificados 967 processos para novos professores, dos quais 626 vão ingressar no ensino primário, 289 no ensino secundário do I ciclo e 52 no ensino secundário do II ciclo de ensino.
Para o sector da Saúde foram submetidos ao Tribunal de Contas 187 processos, dos quais 174 foram assinados para preencher 227 vagas, ficando de parte 13, por irregularidades. O Tribunal de Contas apurou como anomalias a falta de certificados de equivalência nos processos dos candidatos que se formaram no exterior do país, documentos caducados, rasurados e falsificados, bem como idades superiores a 35 anos. A equipa técnica recomenda rigor na selecção dos candidatos para concurso públicos, sendo que aqueles que possuem mais de 35 anos devem celebrar o seu ingresso provisório através de contratos de trabalho. Com o mesmo propósito, depois da província do Moxico, o presidente do Tribunal de Contas, Julião António, viajou para a cidade de Saurimo, capital da província da Lunda-Sul. O périplo, que termina esta semana na província do Zaire, é antecedido por um processo de apreciação e revisão dos processos por parte de técnicos daquela instituição judicial, na base dos critérios da legalidade e regularidade financeira.

Tempo

Multimédia