Províncias

Jovens recebem kits para o auto-emprego

Maximiano Filipe

Jovens de diversos estratos sociais do município do Cubal, 150 quilómetros de Benguela, estão a receber equipamentos técnico-profissionais, para a abertura de pequenos negócios, no âmbito do programa de fomento do auto-emprego.

Vários mestres de artes e ofícios à disposição do mercado de trabalho
Fotografia: Edmundo Eucílio| Edições Novembro

Os 99 beneficiados foram formados em Culinária, Pastelaria, Corte e Costura, Beleza Estética, Artesanato e Cabeleireira, em acções formativas patrocinadas pelo Fundo de Apoio Social (FAS), com a duração de três meses.
De acordo com a coordenadora geral da acção formativa, Maria de Jesus, a formação resulta de um programa denominado “projecto de inclusão produtiva”, dirigido a pessoas sem condições financeiras, sobretudo as que vivem em condição de vulnerabilidade.
O projecto está a ser implementado em nove províncias do país, com o objectivo de dotar os jovens de habilidades técnicas e profissionais, para terem mais oportunidades na criação do seu próprio negócio e promover a sua base de sustentabilidade.
 O Jornal de Angola constatou que nos últimos quatro anos o município do Cubal tem vindo a colocar no mercado de trabalho jovens formados em diversas áreas técnicas, no âmbito da estratégia de garantir mais oportunidades para a juventude e combater o desemprego.
Segundo o director do Instituto Médio de Ensino, José Chingui, no primeiro trimestre deste ano entraram em regime de estágio 490 jovens, depois de concluírem o curso médio.
De acordo com José Chingui, na base de uma planificação consensual entre a direcção da escola, repartição municipal da Educação e administração municipal, os jovens formados estão a estagiar como professores em escolas da sede municipal do Cubal e em comunas.
Acrescentou que o mecanismo de estágio tem permitido aos jovens colocar em prática os conhecimentos adquiridos, bem como ocupar os quadros do município com a prestação de serviços para o desenvolvimento do processo educativo, de modo que, em fase de concurso público de ingresso, possam apresentar a qualidade desejada, para servir melhor o sector da Educação.

Tempo

Multimédia