Províncias

Abertura de novos hospitais obriga ao reforço de pessoal

Nicolau Vasco | Menongue

O director provincial da saúde do Cuando Cubango disse ser urgente o recrutamento de mais técnicos médios e superiores para garantir o funcionamento dos hospitais em construção nos municípios de Menongue, Mavinga, Calai, Dirico e Jamba (Rivungo).

Novo hospital entra em funcionamento
Fotografia: Nicolau Vasco | Menongue

Fernando Cassanga, que falava no final de uma visita às obras de construção do hospital provincial do Cuando Cubango, sublinhou a necessidade do enquadramento de mais técnicos para permitir uma melhor gestão dos recursos humanos.
Além dos hospitais em construção, também estão em construção dezenas de postos e centros médicos nas comunas e aldeias com maior aglomeração populacional, o que vai exigir mais médicos, enfermeiros e outros especialistas clínicos.
O director provincial considerou oportuno o aumento de unidades sanitárias, mas lembrou que vai exigir o recrutamento de mais profissionais, para dar resposta às várias endemias, como as contagiosas, malária, diarreicas agudas e respiratórias, tuberculose pulmonar, malnutrição, entre outras.
“Caso a construção destas infra-estruturas não seja acompanhada do recrutamento e formação de mais médicos e técnicos de várias especialidades clínicas, não vai haver melhorias no atendimento dos pacientes e não é isso que pretendemos", argumentou o responsável.
A província do Cuando Cubango, com uma população calculada em mais de 700 mil habitantes, possui apenas 53 médicos, nove dos quais angolanos, o que representa um médico para 12 mil habitantes.
Um outro aspecto que também está a preocupar a direcção da Saúde é o montante disponibilizado que, na óptica de Fernando Cassanga, deve ser revista pelo Ministério da Saúde e Governo Provincial, para que se possa levar avante acções de melhoria do sector.  A direcção Provincial da Saúde necessita de pelo menos 16 ambulâncias para facilitar o transporte dos pacientes.

Tempo

Multimédia