Províncias

Acto de vandalismo preocupa direcção

Nicolau Vasco | Menongue

O presidente do conselho de administração dos Caminhos-de-Ferro de Moçâmedes, Daniel Kipaxe, manifestou séria preocupação com as acções de vandalismo de que está a ser alvo o sistema de comunicações ao longo da linha-férrea.

Sabotagem no sistema de comunicação
Fotografia: Nicolau Vasco |

O presidente do conselho de administração dos Caminhos-de-Ferro de Moçâmedes, Daniel Kipaxe, manifestou séria preocupação com as acções de vandalismo de que está a ser alvo o sistema de comunicações ao longo da linha-férrea.
Daniel Kipaxe, que falava domingo no final de uma visita que efectuou à cidade de Menongue, aonde chegou a bordo de um comboio experimental, disse que elementos não identificados estão a danificar os cabos de fibra óptica e as cabines do sistema de comunicação, sendo a região do Dongo, Huíla, a mais afectada.
O responsável realçou a importância do sistema de comunicação como um elemento fundamental para os caminhos-de-ferro, que deve ser complementado com a sinalização das zonas de maior fluxo da população e passagem de viaturas, para se evitar acidentes, como se tem assistido nos últimos tempos na linha Luanda/Malange, onde o comboio já circula com alguma regularidade.
Em função desta situação, esclareceu, o Ministério dos Transportes realiza um encontro regional onde participam os governadores do Namibe, Huíla, Kuando-Kubango e técnicos seniores dos transportes para se definir estratégias de segurança com vista a acabar com os actos de vandalismo. Em relação ao processo de construção das estações para o embarque e desembarque dos passageiros informou que as obras caminham para o seu término e tudo leva a crer que antes da inauguração, prevista para Agosto, com a realização da primeira ligação ferroviária entre as cidades do Namibe e de Menongue, passando pelo Lubango, tudo esteja na perfeição. Daniel Kipaxe disse que o troço entre Lubango e Namibe, o único que tinha os trabalhos em atraso, também já está praticamente concluído.
O responsável dos Caminhos-de-Ferro mostrou-se em particular satisfeito com as obras do edifício da estação da cidade de Menongue, que além de estar a prestar uma nova imagem à urbe, beneficia de acabamentos no exterior e é a primeira a ser concluída já no mês de Abril.
O orçamento da construção de 56 estações anda à volta de mil milhões de dólares e conta com uma força de trabalho de 1.900 cidadãos chineses e 500 angolanos e quando estiverem a funcionar garante cerca de 750 novos empregos permanentes nas áreas de carpintaria, serralharia, mecânica, administração, hotelaria, entre outros serviços.

 Ramal da Jamba

Sobre os trabalhos do ramal do Chamutete e da Jamba, na província da Huíla, Daniel Kipaxe disse que as obras estão concluídas e a circulação do comboio nestas zonas mineiras depende de um acordo entre o Ministério dos Transportes e os responsáveis das empresas que operam nestas mesmas localidades.
O vice-governador do Kuando-Kubango para os serviços técnicos e infra-estruturas, que recebeu a delegação proveniente do Namibe, disse que o governo local e em particular a população está expectante para ver chegar o primeiro comboio oficial de passageiros em Agosto.
 “As grandes obras realizadas pelo Executivo e pelo governo local, que se encontram estagnadas por falta de material de construção, estão a depender da circulação oficial do comboio”, disse o governante.

Tempo

Multimédia