Províncias

Alunos do Cuangar com merenda escolar

Carlos Paulino | Cuangar

Mais de 4.700 alunos matriculados em sete escolas do ensino primário no município do Cuangar estão a ser abrangidos, este ano lectivo, pela merenda escolar, informou na terça-feira o administrador Manuel Franessa.

A distribuição de merenda tem como objectivo combater o absentismo e aumentar os níveis de aproveitamento escolar
Fotografia: Eduardo Pedro

Em declarações ao Jornal de Angola, salientou que a Administração Municipal investiu 48 milhões de kwanzas para a aquisição da merenda escolar, que é composta por um pacote de bolachas e de sumo para cada estudante, todos os dias.
Para o administrador, o valor empregue na aquisição da merenda escolar é ainda irrisório, tendo em conta que existem mais de dois mil alunos que não beneficiam deste programa, que visa combater o absentismo nas escolas, sobretudo nas localidades de Cafuma e de Olupale.
Lamentou, apesar disso, o facto de na sua área de jurisdição ainda se registar um índice elevado de absentismo escolar, principalmente nas localidades do interior do município, onde alunos deixam de ir às aulas para pastar o gado ou trabalhar nas lavras. Para ultrapassar esta situação, a Administração Municipal vai envidar esforços no sentido de aumentar o orçamento da merenda escolar, para que este programa possa abranger todas as escolas da sua circunscrição, no próximo ano lectivo.
A cada ano que passa o orçamento destinado à aquisição da merenda escolar tem estado a aumentar, uma vez que em 2013 foi de 40 milhões de kwanzas e no presente ano lectivo é de 48 milhões de kwanzas. 
O município do Cuangar tem actualmente sete escolas novas, mas alguns alunos ainda estudam em salas improvisados em capelas de igrejas e debaixo de árvores, principalmente nas ­localidades de Cafuma, Bondo Caíla e Olupale, e só deste modo foi possível, este ano lectivo, matricular mais de dez mil alunos da iniciação à 12ª classe.
As aulas são ministradas por 224 professores. Segundo o administrador Manuel Franessa está neste momento em curso, a nível do município, a construção de 13 escolas de três, seis e 12 salas, que vão permitir inserir 1.115 crianças que se encontram fora do sistema normal de ensino e aprendizagem. Manuel Franessa sublinhou que o Cuangar necessita de mais cem professores, para colmatar o grande défice nas localidades de Olupale, Bondo Caíla e Cafuma, uma vez que os docentes existentes são obrigados a leccionar mais de três classes, uma situação que tem criado muitas dificuldades para o ensino de qualidade que se pretende.

Tempo

Multimédia