Províncias

Analisado projecto Okavango/Zambeze

Weza Pascoal | Menongue

Estudantes da província do Kuando-Kubango, seleccionados para participar no Campo Nacional de Férias dos Estudantes Universitários (CANFEU), que inicia amanhã e até ao dia 2 de Março no Zaire, foram informados, durante uma palestra, sobre a área de conservação transfronteiriça do projecto Okavango Zambeze (KAZA). 

Palestra serviu para transmitir aos participantes do CANFEU os programas da província
Fotografia: Nicolau Vasco

Estudantes da província do Kuando-Kubango, seleccionados para participar no Campo Nacional de Férias dos Estudantes Universitários (CANFEU), que inicia amanhã e até ao dia 2 de Março no Zaire, foram informados, durante uma palestra, sobre a área de conservação transfronteiriça do projecto Okavango Zambeze (KAZA). 
O director de gabinete de inspecção do governo da província, João Francisco Gime, disse que a palestra teve como objectivo transmitir aos participantes ao CANFEU os projectos e programas que o governo do Kuando-Kubango está a desenvolver para a implementação do projecto KAZA na região.
Os 30 estudantes vão exibir, por meio de um vídeo, as principais potencialidades que a província oferece em termo da fauna e flora dos cerca de 90 quilómetros quadrados que abrangem a área do KAZA, no Kuando-Kubango, nos municípios do Rivungo, Dirico, Cuito Cuanavale, Mavinga, Cuangar e Calai.
A desminagem, transformação das reservas e parques nacionais, programa de combate as grandes endemias, construção de postos fronteiriços, o plano de reabilitação das infra-estruturas básicas, estratégia de sustentabilidade e a harmonização das políticas de gestão dos recursos naturais, como os sectores chaves para a implementação deste projecto. João Francisco Gime sublinhou que o projecto Okavango Zambeze envolve cinco países da África Austral, como são os casos de Angola, Botswana, Zâmbia, Zimbabué e Namíbia que, segundo o responsável, pretendem estabelecer uma área de conservação e de turismo na região, situada entre as margens dos rios Okavango e Zambeze, no contexto do desenvolvimento sustentável e das áreas Transfronteiriças de Conservação.
“Angola e, em particular a província do Kuando-Kubango, vai ter vários benefícios, porque o projecto visa criar melhores condições de vida e de habitabilidade, reassentamento das populações, combate à pobreza e desemprego”, salientou. O director esclareceu ainda as dúvidas dos estudantes desde a criação do projecto, suas etapas, áreas, compromissos de Angola no projecto, reabilitação dos principais troços rodoviários que vão dar acesso a Zâmbia e Namíbia, entre outras vantagens.
O segundo secretário provincial da JMPLA, José Martins, referiu que, com a explicação dada pelo palestrante, sente-se esclarecido sobre o projecto KAZA e disse estar em condições para  apresentar o tema que foi escolhido para o CANFEU.

Tempo

Multimédia