Províncias

Antigos combatentes da Pátria recebem cabeças de gado bovino

Lourenço Bule | Cuchi

Um total de 40 efectivos das extintas FAPLA beneficiaram, na sede do município do Cuchi, província do Cuando Cubango, de um lote de 80 cabeças de gado e de 40 charruas de tracção animal, no quadro das políticas do Executivo angolano de reintegração dos ex-militares e das suas famílias.

Os meios entregues destinam-se à promoção do empreendedorismo no seio dos desmobilizados e potenciam as actividades agrícolas
Fotografia: Lourenço Bule | Cuchi

O chefe dos serviços do Instituto de Reintegração Sócio-Profissional dos Ex-militares (IRSEM), no Cuando Cubango, João Valente Borges,  disse que os meios entregues  destinam-se à promoção do empreendedorismo no seio dos ex-militares desempregados e potenciar as actividades agrícolas.
João Valente Borges aconselhou os beneficiários para cuidarem bem os meios que acabaram de receber e a utilizarem os mesmos nos objectivos definidos, porque o Estado tem muitas tarefas para realizar, pois o número de ex-militares que precisam de apoio é enorme.
O administrador adjunto do Cuchi para o sector político e social, João Cambinda, agradeceu o gesto do Governo e pediu ao Instituto de Reintegração Sócio-Profissional dos Ex-militares no sentido de dinamizar estes projectos, pois no município residem muitos desmobilizados de guerra que carecem de apoio para exercer um ofício.
O Instituto de Reintegração Sócio-Profissional dos Ex-militares no Cuando Cubango tem registados 13.461 ex-militares que se inscreveram para o fomento de actividades agrícolas, pecuária, formação técnico-profissional, comércio rural, fomento de pequenos negócios, empreendedorismo e recepção de kits e ferramentas de trabalho.
 Actualmente, o Instituto de Reintegração Sócio-Profissional dos Ex-militares controla em toda a extensão da província 16.523 ex-militares desmobilizados à luz dos acordos de Bicesse e do memorando de entendimento do Luena, dos quais mais de 2.026 beneficiaram de assitência do governo no período de 2011 e 2016, nos mais variados domínios.  “O programa de reintegração dos ex-militares engloba os domínios de formação, agro-pecuários, pesca, comércio, artes e ofícios, de forma a reconhecer o contributo prestado na libertação do país contra o colonialismo, conquista da independência, paz e a defesa da soberania nacional”, disse.
Acrescentou que a Administração Municipal vai acompanhar de perto todos os dias o manuseamento dos meios entregues, porque já houve casos de ex-militares que foram contemplados com cabeças de gado, charruas e kits profissionais que acabaram por dar outro destino aos meios recebidos, acrescentou o administrador.
António Cambinda, um dos beneficiários, agradeceu o gesto do Instituto de Reintegração Sócio-Profissional dos Ex-militares e disse que os meios que recebeu vão permitir praticar agricultura de subsistência, para o sustento da sua família e o excedente será comercializado nos mercados locais.

Tempo

Multimédia