Províncias

Apicultores aprendem novas técnicas

Carlos Paulino | Cuchi

Um grupo de 15 apicultores tradicionais do município do Cuchi, a 93 quilómetros da cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, participa, desde segunda-feira e até amanhã.

As primeiras colmeias modernas já se encontram na província para serem instaladas nos municípios de Menongue e Cuchi
Fotografia: Carlos Paulino | Cuchi

Um grupo de 15 apicultores tradicionais do município do Cuchi, a 93 quilómetros da cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, participa, desde segunda-feira e até amanhã, num curso de formação de formadores sobre as novas técnicas de produção de mel, no quadro do programa de emergência do Executivo para o sector da Agricultura.
O director Nacional do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF), Tomás Caetano, disse que a acção visa conciliar os métodos tradicionais de produção de mel com técnicas modernas, para revitalizar o sector, que pode ser determinante no combate à pobreza.
No período colonial, a província do Kuando-Kubango foi um dos maiores produtores de mel e de cera do país e exportava para vários países do mundo. Por isso, sublinhou Tomás Caetano, a necessidade de se imprimir uma nova dinâmica a esta área para que a província possa ocupar o seu lugar há muito perdido, em resultado do conflito armado que assolou Angola durante décadas.
As primeiras 45 colmeias modernas já se encontram no Kuando-Kubango para serem instaladas nos municípios de Menongue, Cuchi e Cuanavale. Um dos principais desafios do IDF para os próximos tempo, nesta região, é o de produzir anualmente perto de três toneladas de mel e de cera. Tomás Caetano especificou que esta acção vai estender-se a outros 30 apicultores dos municípios de Menongue e do Cuito Cuanavale, localidades que também detêm zonas muito férteis em matéria-prima para a produção de mel, uma particularidade, segundo ele, que se pode atribuir a todos os municípios do Kuando-Kubango.
“Precisamos que a apicultura seja um sector fundamental para o programa de combate à pobreza, uma vez que a província tem condições excelentes para a produção de mel em grande escala e que esta produção vai servir para que muitos apicultores tenham rendimento suficiente para garantir o sustento das suas famílias”, disse.
 
Produção de plantas

Durante a visita de algumas horas ao Cuchi, o director Nacional do IDF visitou o local onde está a ser construído um viveiro para a reprodução anual de 300 mil plantas diversas para o repovoamento das florestas da região, que têm sofrido graves consequências devido à acção do homem, com realce para o abate de árvores para o fabrico de carvão e queimadas para caça e pasto.
Tomás Caetano disse que, no quadro deste programa, está igualmente em curso a construção de dois viveiros no município de Menongue e outro no Cuito Cuanavale, cuja entrada em funcionamento vai permitir que a província do Kuando-Kubango disponha anualmente de mais de um milhão de plantas para fazer face aos problemas da desertificação crescente.

Tempo

Multimédia