Províncias

Aulas de alfabetização com audiovisuais

Nicolau Vasco| Menongue

Um conjunto de 443 televisores equipados com sistemas de vídeo e respectivos painéis solares foram entregues pelo Ministério da Educação à direcção local do sector, para garantir uma aprendizagem rápida e segura dos alfabetizandos, no quadro do programa de alfabetização “Sim eu posso”.

Cada alfabetizando vai receber uma cartilha com exercícios diversos por preencher além de outros manuais de estudos
Fotografia: Nicolau Vasco| Menongue

O director provincial do Educação, Miguel Kanhime, disse ao Jornal de Angola que, para o êxito da operação, a instituição está a formar, em Menongue, 443 facilitadores provenientes de todas as partes da província, para o manuseamento dos equipamentos e dissipar as dúvidas durante a exibição dos vídeos.
Cada alfabetizando vai receber uma cartilha com exercícios diversos por preencher, um caderno, lápis e borracha, de maneiras a tornar mais fácil a compreensão dos vídeos, através de um processo muito simples de aprendizagem, em que cada letra do alfabeto corresponde a um determinado número natural.
“É um processo muito simples de origem cubana, com o qual o Governo de Fidel Castro, em muito pouco tempo, conseguiu erradicar o analfabetismo no país, porque além de fácil compreensão, tem também a particularidade do facilitador pegar nos equipamentos e ir atrás das comunidades, em caso destas se mudarem para as lavras ou para um outro local”, explicou. Miguel Kanhime disse que o método “Sim eu Posso” é um processo que, no prazo de 45 dias ou três meses, no máximo, vai permitir às comunidades da província terem o domínio perfeito do alfabeto e começar a escrever e a ler sem qualquer dificuldade. Na província do Cuando Cubango, o programa “Sim eu posso” foi apresentado às autoridades em Agosto, com uma demonstração feita na comuna do Missombo, na presença do vice-governador para o sector Económico, Ernesto Kiteculo, sobas e dapopulação da região, que se mostrou surpreendida pelo método tão fácil de aprender a ler e a escrever. O responsável disse que, antes do final deste ano, a direcção provincial de Educaçãopretende abrir os primeiros 22 postos no município de Menongue, dez no Cuchi e igual número no Cuito Cuanavale. Estes vão funcionar em regime experimental e testar as capacidades mentais dos alfabetizandos.

Ler e escrever

O director provincial da Educação realçou que, no Cuando Cubango, o Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar (PAAE) prossegue sem sobressaltos, através do programa aprender a ler e escrever, tendo inscrito no presente ano lectivo 18.686 alfabetizandos. Deste número, 11.554 estão inscritos no módulo 1, que corresponde às 1ª e 2ª classes, 4.625 no módulo 2, que abarca as 3ª e 4ª classes, e 2.807 no módulo 3, que tem o mesmo nível que a 5ª e 6ª classes.
Miguel Kanhime salientou que, desde 2007 e até Junho deste ano, o Programa  de Alfabetização e Aceleração Escolar permitiu alfabetizar mais de 66.492 pessoas, sendo que 80 por cento são mulheres que, na sua maioria, prosseguiram com os estudos até no ensino superior, nas diferentes províncias do país. O director provincial da Educação lamentou o facto de actualmente, no Cuando Cubango, os homens ainda continuarem a evitar as salas de alfabetização. Em cada dez alfabetizandos, sete são mulheres.

Tempo

Multimédia