Províncias

Aumentam esforços de combate à sida

Cláudia Muhatili | Menongue

O diagnóstico, manuseamento e tratamento de casos de VIH-Sida vão ser melhor resolvidos a nível do Cuando Cubango, em resultado da formação que decorre, desde segunda-feira, na província.

Ciclo de formação permitiu ilucidar melhor os profissionais da saúde acerca da doença
Fotografia: Cláudia Muhatili | Menongue

Na formação, com a duração de 15 dias, participam cerca de cem pessoas, entre médicos, enfermeiros, técnicos de laboratório, farmacêuticos, parteiras tradicionais e líderes comunitários.
Promovida pelo Instituto Nacional de Luta Contra a Sida (INLS), a iniciativa enquadra-se no âmbito do cumprimento da aceleração da resposta ao VIH/Sida, até 2015, a nível do Cuando Cubango, província que detém uma seroprevalência de 5,6 por cento, a segunda mais infectada do país, depois do Bié.
O ciclo de formação visa, fundamentalmente, prevenir as novas infecções pelo VIH em crianças e adultos, garantir um diagnóstico correcto, permitir que as mães gestantes seropositivas tenham acesso ao programa de corte de transmissão vertical, assim como facilitar o acesso a mais de 90 por cento dos adultos, adolescentes e crianças portadoras do vírus à terapia anti-retroviral.
O coordenador da comissão do programa de aceleração da resposta ao VIH/Sida para o Cuando Cubango, Milton Veiga, disse que a acção de formação abrange, numa primeira fase, as províncias de Luanda, Cabinda, Lundas, Bié, Huambo, Benguela, Cunene e Cuando Cubango, tidas como prioritárias.
 Das actividades programadas pelo INLS constam ainda a formação de formadores entre as autoridades tradicionais e religiosos, parteiras, agentes comunitários e activistas de todos os municípios, para que estes sejam um veículo de informação sobre os perigos da doença nas comunidades.
A formação de médicos de todos os municípios, para tratar exclusivamente de casos de VIH/Sida e acompanhar a terapia anti-retroviral dos pacientes, consta igualmente do programa do INLS.
O instituto, disse Milton Veiga, vai instalar 16 unidades sanitárias nos pontos estratégicos de cada município, para alargar os serviços de aconselhamento e testagem.
Formar e actualizar 20 técnicos, que trabalham na área da logística, farmácia em todos os municípios, supervisionar e optimizar os laboratórios que realizam o CD4 e actualizar os técnicos no manuseio do aparelho PIMA também figuram entre as prioridades do organismo, que controla os casos de sida em Angola.
O vice-governador para a esfera política e social, Pedro Camelo, elogiou os esforços do INLS e mostrou-se satisfeito pela eleição do Cuando Cubango para acolher a acção de formação, uma oportunidade ímpar para reduzir os casos de VIH-Sida, que assolam a região sudeste de Angola.
Deste modo, os profissionais de saúde vão ter a responsabilidade de actuar posteriormente como multiplicadores da informação nas demais unidades sanitárias não contempladas neste processo, de forma a permitir que se consiga dar respostas significativas à prevenção e atingir zero mortes por sida.

Tempo

Multimédia