Províncias

Aumentam os casos de tuberculose

Carlos Paulino| Menongue

O director do Hospital Sanatório do Kuando-Kubango, Alberto Funvo, revelou no sábado que a instituição diagnosticou, de Janeiro a Setembro deste ano, um total de 456 novos casos de tuberculose, representando um aumento de registos.

O director do Hospital Sanatório do Kuando-Kubango, Alberto Funvo, revelou no sábado que a instituição diagnosticou, de Janeiro a Setembro deste ano, um total de 456 novos casos de tuberculose, representando um aumento de registos.O responsável salientou que, durante 2010, a instituição, que este ano registou sete óbitos, diagnosticou 345 casos positivos, 15 óbitos e 32 outros ficaram livres da doença, depois de cumprirem um rigoroso programa de administração dos medicamentos.
O elevado índice de casos de VIH/Sida, que assola a província do Kuando-Kubango, os índices elevados de pobreza no seio da população, associado ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas, foram apontados como as principais causas do aumento de casos de tuberculose, sendo o município de Menongue o mais afectado.
Alberto Funvo realçou que o hospital sanatório atende diariamente entre 10 a 20 pacientes, provenientes de diversos pontos da província. Em média, duas destas pessoas apresentam um quadro clínico para internamento, embora a unidade sanitária tenha apenas capacidade para acomodar 20 pacientes. Por esta razão, a maior parte dos doentes infectados está a receber tratamento ambulatório que, em princípio, não é muito seguro, uma vez que muitos deles não cumprem a dosagem estabelecida.
Na sua fase evolutiva, a tuberculose atinge os órgãos genitais, os rins, intestino delgado e ossos, mas no caso concreto do Kuando-Kubango, 90 por cento dos casos diagnosticados atacam os pulmões.
Alberto Funvo sublinhou que a referida unidade sanitária trata também de outros 109 doentes de lepra, em regime ambulatório, uma vez que a província não dispõe de uma leprosaria. Além disso, a unidade recebe apenas 200 mil kwanzas mensalmente do orçamento provincial, o que não chega para cobrir as despesas com a alimentação, material de higiene e outros equipamentos para manter o hospital funcional.

Tempo

Multimédia