Províncias

Barragens no Cuando Cubango vão levar energia às populações

Lourenço Bule | Menongue

Mais de 360 mil habitantes da província do Cuando Cubango vão beneficiar, nos próximos tempos, de energia eléctrica, com a construção de três barragens com capacidade para 155 megawatts, anunciou ontem o engenheiro Armando Antunes, da CITIC.

Investidores nacionais e estrangeiros ficaram bastante impressionados com o local onde vai ser executado o perímetro de irrigação
Fotografia: Nicolau Vasco | Edições Novembro - Menongue

O engenheiro explicou que as barragens hidroeléctricas, a serem erguidas ainda este ano, na sede municipal do Cuchi, na comuna do Cutato e na localidade de Caiundo, estão a cargo do consórcio chinês Huashi (HS), em parceria com a congénere CITIC.
Para avaliação das condições para avanço das edificações, uma missão chefiada pelo presidente da HS, Zheng Gang, integrada pelo vice-presidente da CITIC em Angola, Hu Ping, incluindo engenheiros de construção civil, visitaram sexta-feira o estreito de Kankima sobre o rio Cuchi, onde é erguida uma das três barragens.
Armando Antunes disse que a barragem do Cutato vai ser erguida sobre o rio com o mesmo nome, enquanto a da comuna de Caiúndo sobre o rio Cubango.
O engenheiro avançou que em cada um desses equipamentos hidrográficos vai ser construído um canal de irrigação, para cobrir mais de 20 mil hectares de terras aráveis e uma estação de captação e fornecimento de água potável às comunidades locais. Armando Antunes disse que as três barragens vão ser construídas com financiamento da Linha de Crédito da China, cujo montante não foi revelado. No próximo mês, está prevista a chegada de uma vasta equipa de técnicos chineses e portugueses, para realizarem os estudos preliminares dos três lugares seleccionados. As referidas barragens, quando concluídas, estarão interligadas à Rede Nacional de Transportação (RNT). O engenheiro Armando Antunes considerou que o estreito de Kankima, pelas suas características naturais, é uma pérola que caiu do céu, por ser um local luxuriante ainda sub-aproveitado.
Realçou que o projecto terá a duração de três anos, estando previsto o arranque dos trabalhos ainda este ano. No fim  das obras, a província fica dotada com as condições ideais para o seu rápido desenvolvimento, tendo em conta as potencialidades agropecuárias,  industriais e turísticas que possui. “Vamos ter melhorias na actividade agrícola, porque poder-se-á cultivar em qualquer estação do ano e ter mais água potável”, explicou o engenheiro.
O vice-governador do Cuando Cubango para o sector Económico, Ernesto Kiteculo, mostrou-se satisfeito com o empreendimento e salientou que a sua entrada em funcionamento vai proporcionar um rápido crescimento da região em todos os capítulos. Fez saber que estudos preliminares de Kankima apontam para a possibilidade da construção de uma central hidroeléctrica potente, com uma rede de distribuição que vai ter uma extensão de 163 quilómetros até a cidade de Menongue, com 50 transformadores de 250 KVA.
Estes equipamentos vão beneficiar energia para mais de 50 mil consumidores, enquanto outros 30 transformadores também de 250 KVA devem servir a iluminação pública.

Perímetro de irrigação


O vice-governador salientou que o referido projecto, para além de garantir o fornecimento de energia eléctrica e abastecimento de água potável, vai permitir que a região tenha um grande perímetro de irrigação e alavancar o desenvolvimento sustentável do município do Cuchi, que é potencialmente agrícola.
Ernesto Kiteculo avançou que as comunas do Tchinguandja e Vissati ostentam uma grande capacidade agrícola, desde o tempo colonial. Neste sentido, faz sentido a concretização deste projecto, para aproveitar as maiores vantagens possíveis, quer no sector de energia, quer da água para o consumo e irrigação dos campos.
Concluiu que os investidores chineses ficaram bastante impressionados com o local, onde vai ser executado o referido projecto, visto que, em termos de localização geográfica, apresentam inúmeros benefícios.

Tempo

Multimédia