Províncias

Bartolomeu Dias no ramo do arroz

Nicolau Vasco| Menongue

Um Instituto Nacional de Formação Técnica de Arroz vai ser construído dentro de um ano no município de Menongue, província do Kuando-Kubango, numa acção conjunta entre o Governo Provincial e a empresa GBD, anunciou o empresário da firma.

Empresário Bartolomeu Dias disse que Angola é um país que consome mais arroz do que produz
Fotografia: Nicolau Vasco| Menongue

Um Instituto Nacional de Formação Técnica de Arroz vai ser construído dentro de um ano no município de Menongue, província do Kuando-Kubango, numa acção conjunta entre o Governo Provincial e a empresa GBD, anunciou o empresário da firma.
Bartolomeu Dias, que manteve um encontro com os membros do Governo do Kuando-Kubango, revelou que o encontro com as autoridades locais serviu para delinear estratégias de investimentos na área de cultivo de arroz e de trigo, na comuna do Vissati, município do Cuchi.
Sem revelar o montante a ser investido, disse que, numa primeira fase, a instituição vai dar formação a quadros nacionais, capazes de impulsionar a produção industrial de cereais no país. “Angola é um dos países do mundo que consome arroz em demasia, mas a verdade é que não o produz, por isso pretendemos investir na produção de cereal”.
A formação de quadros nacionais nesta área, referiu, vai permitir dinamizar a produção industrial do cereal em grande escala e que o país seja uma referência internacional. Na província do  Kuando-Kubango, o empresário Bartolomeu Dias fez-se acompanhar de dois cientistas filipinos, especializados no cultivo de arroz, que se deslocaram à comuna do Vissati com o objectivo de fazer estudos de viabilidades dos solos.
Os cientistas que pertencem ao departamento da Agricultura da Philrice, das Filipinas, uma empresa internacional especializada no cultivo de arroz e que opera nalguns países da Ásia, com realce para a China e Tailândia, prometeram trazer os resultados antes do final deste mês. O vice-governador da província para o sector Económico, Ernesto Kiteculo, disse que este projecto, incluindo o da Fazenda Agro-industrial do Longa, vai contribuir para a diminuição da importação deste produto e transformar o país num grande produtor de cereal. Convidou, ainda, os demais empresários a investirem no Kuando-Kubango, tendo em vista as grandes potencialidades que oferece para o incremento de vários projectos, com realce para os sectores da agricultura e turismo.

Tempo

Multimédia