Províncias

Bondo Caíla tem matadouro moderno

Nicolau Vasco| Bondo-Caíla

Um grupo empresarial italiano, especializado na produção de carne de vaca, vai investir, a partir deste ano, 50 milhões de dólares na comuna de Bondo Caíla, no Cuando Cubango, na construção de um matadouro industrial, com capacidade para abater entre 400 a 500 cabeças de gado bovino por dia.

O matadouro é equipado com tecnologia moderna para o processamento de carne e comercialização em Angola e para exportação
Fotografia: Nicolau Vasco| Luena

O presidente do grupo empresarial, Luigi Cremonini, visitou o local onde vai ser construído o matadouro industrial, na companhia do governador Higino Carneiro.
O matadouro é equipado com tecnologia moderna para o processamento da carne, embalagem e comercialização em Angola e para exportação.
Na comuna de Bondo Caíla (Cuangar), Luigi Cremonini ficou impressionado com as potencialidades agro-pecuárias da região e afiançou que o local indicado, situado nas proximidades do rio Cubango, oferece condições propícias para a instalação da infra-estrutura, que vai ser erguida numa área de 50 hectares, cujas obras começam dentro de seis meses.
O presidente do grupo empresarial Cremonini disse que o passo a seguir prende-se com o envio, nos próximos dias, de uma equipa técnica, para, no terreno, fazer os estudos finais e tratar de alguns procedimentos administrativos junto das autoridades angolanas, para o arranque da empreitada.
Acrescentou que pela localização geográfica a comuna de Bondo Caíla é o local perfeito para este tipo de empreendimento, por ser uma região muito rica para a reprodução do gado e está a poucas horas do Cunene, Huíla, Huambo, Bié e de países vizinhos, como a Namíbia, Botswana, que também podem fornecer gado para o abate.

Assistência aos criadores


Luigi Cremonini disse que além do matadouro a empresa vai também prestar assistência técnica aos criadores locais e de outros pontos do país, ensinando-lhes novos métodos de reprodução e cuidados aos animais, para assegurar o funcionamento da indústria transformadora. O governador do Cuando Cubango, Higino Carneiro, sublinhou que, com a construção do matadouro, o país sai a ganhar, “porque precisamos urgentemente de diversificar a nossa economia e reduzir para números cada vez mais baixos os índices de importação de carne, que tem custos altos nos cofres do Estado, a cada exercício económico”. O Cuando Cubango, a­crescentou Higino Carneiro, tem um enorme potencial ­económico que precisa de investimentos e de empresários fortes, capazes de erguerem indústrias transformadoras, como esta que vai ser instalada agora em Bondo Caíla.
Higino Carneiro anunciou que brevemente um outro grupo industrial vai instalar, no Cuangar, uma fábrica de processamento de madeira e desenvolver um projecto agro-pecuário de grande dimensão, com vista a estimular a indústria nesta região estratégica do Cuando Cubango.

Tempo

Multimédia