Províncias

Camponeses recebem ferramentas

Lourenço Bule | Cuatir

Um grupo de 180 camponeses associados em seis cooperativas na localidade de Cuatir, a 30 quilómetros da cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, recebeu dez charruas de tracção animal e sementes de milho e massango, no quadro das festividades do 23º aniversário da União Nacional de Camponeses de Angola (UNACA).

Executivo vai continuar a apoiar os camponeses através da atribuição de microcrédito
Fotografia: Lourenço Bule| Kuando Kubango

Um grupo de 180 camponeses associados em seis cooperativas na localidade de Cuatir, a 30 quilómetros da cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, recebeu dez charruas de tracção animal e sementes de milho e massango, no quadro das festividades do 23º aniversário da União Nacional de Camponeses de Angola (UNACA).
Os meios, entregues pelo vice-governador para o sector Económico, Ernesto Fernando Kiteculo, têm por objectivo incentivar os camponeses a aumentarem as suas áreas de produção, uma vez que Cuatir tem vastos campos aráveis.
O vice-presidente da União Nacional de Camponeses de Angola (UNACA), Albano da Silva Lussati, disse que o Executivo vai continuar a apoiar os camponeses associados em cooperativas, através da atribuição de microcrédito, para que se possam dar resposta ao programa de combate à pobreza, principalmente no meio rural.
“Temos o privilégio de dizer que somos os soldados da grande batalha do programa levado a cabo pelo Executivo de combate à pobreza, porque nos últimos tempos os camponeses de todo o país, e em particular na província do Kuando-Kubango, têm lutado para a concretização deste projecto”, disse. 
Albano da Silva Lussati lamentou o facto da direcção provincial da UNACA funcionar em instalações muito degradadas, que não oferecem condições de trabalho aos técnicos. Apesar disso, a sua instituição está pronta para transformar a província do Kuando-Kubango, conhecida como a terra do fim do mundo, numa região de progresso. “É necessário que tenhamos coragem e força de vontade para que, num curto espaço de tempo, possamos contribuir para o desenvolvimento socioeconómico da província”, encorajou.
O vice-governador da província para o sector económico, Ernesto Kiteculo, apontou a falta de instrumentos para uma agricultura mecanizada e de meios de transporte para o escoamento dos produtos como as principais dificuldades que os camponeses enfrentam a nível da região. Por esse facto, prometeu envidar um esforço maior para se ultrapassar esta situação, e potenciar melhor os agricultores, para que deixem de praticar agricultura de subsistência e passem para a mecanizada, que vai ser crucial para o desenvolvimento socioeconómico da província e na melhoria das condições de vida das populações.Na província do Kuando-Kubango, a UNACA conta com 954 associações e 150 cooperativas de camponeses, num total de 76.300 associados.

Tempo

Multimédia