Províncias

Candidatos a docentes com centenas de vagas

Carlos Paulino | Menongue

O número de crianças e adolescentes fora do sistema normal de ensino, na província do Cuando Cubango, estimado em cerca de 16 mil, vai reduzir significativamente, nos próximos tempos, com a admissão de mais 699 professores nas escolas da região.

Os referidos professores vão ser enquadrados, principalmente nas escolas do interior da província, onde a carência de agentes é maior, com a realização do concurso público para admissão de novos técnicos a nível do sector da Educação, aberto oficialmente ontem.
O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, Miguel Kanhime, realçou que o sector conta com 5.021 trabalhadores, dos quais 4.300 são professores, número que considera irrisório para cobrir as 272 escolas, que resultam em 1.400 salas de aula.
No presente ano lectivo, a província matriculou cerca de 200 mil alunos nos diferentes subsistemas de ensino, deixando de fora mais de 16 mil, por falta de professores, principalmente. Para minimizar a situação, a Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia realiza o referido concurso público, para permitir o ingresso de novos professores auxiliares e diplomados do ensino primário e do II ciclo, para os oitavo e sexto escalões.
Para concorrer, os candidatos devem apresentar, numa primeira fase, nas administrações municipais, cópias do certificado de habilitações literárias autenticado e do Bilhete de Identidade, além do curriculum vitae.
O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia reiterou a necessidade de as administrações municipais darem prioridade a vagas para as escolas do interior, com vista a diminuir a gritante escassez de professores.
“Não queremos candidatos que sejam admitidos e, depois de admitidos, pedem transferência ou abandonam o seu local de trabalho”, alertou o director provincial da Educação. No sector da Saúde, também está prevista, para os próximos dias, a abertura do concurso público, que vai permitir o ingresso de 67 novos profissionais, como anunciou o director provincial da Saúde, Lucas Dala.
O responsável disse que, das 67 vagas, vão ser admitidos dez médicos internos gerais, sete técnicos superiores de primeira classe, cinco profissionais superiores e igual número de técnicos médios de diagnóstico e terapêutica. Está prevista ainda a admissão de cinco enfermeiros licenciados, de 30 de 3ª classe,  de um inspector superior e de dois subinspectores médios.
O director acrescentou que, para uma maior e melhor cobertura das unidades sanitárias a nível da província, são necessários, no mínimo, 800 profissionais nas mais variadas especializações, a par de pessoal de apoio administrativo como catalogadores, maqueiros, copeiros e motoristas, entre outros. Lucas Dala informou que o sector da Saúde conta com 1.516 funcionários, dos quais 37 médicos, 346 enfermeiros gerais, 567 auxiliares e 503 quadros administrativos. Além destes, a província conta ainda com 28 técnicos de diagnóstico e terapêutica de nível médio.

Tempo

Multimédia