Províncias

Centenas de pessoas atacadas por cães

Cláudia Muhatili | Menongue

Cerca de 520 pessoas atacadas por cães vadios, em 2013, na cidade de Menongue, Cuando Cubango, foram imunizadas contra a raiva pelo Departamento Municipal de Saúde Pública, disse ao Jornal de Angola o responsável pela área.

João Chamba lamenta o facto de a cidade de Menongue estar infestada de cães vadios e, em função disso, os casos de mordeduras serem muito frequentes na região, recordando que até agora não há registo oficial de qualquer vítima mortal, tendo em conta que as vítimas receberam de imediato tratamento nos serviços de saúde pública.
O Departamento Municipal de Saúde Pública, disse João Chamba, tem realizado campanhas de vacinação. Mas apesar de existir um stock considerável de vacinas, acrescentou, não são ministradas na íntegra por falta de técnicos, sendo esta uma das razões de terem sido imunizados contra a raiva, em 2013, apenas 3.278 animais de estimação entre cães, gatos e macacos nos municípios de Menongue, Cuchi e Cuangar.
“Apelamos aos proprietários desses animais para se dirigirem aos serviços de veterinária, porque a raiva é uma doença infecciosa aguda que ataca o sistema nervoso central do homem, transmitida por cães, macacos e gatos.”
Para os próximos dias prevê-se a realização de mais uma campanha de recolha de animais vadios para abate, de modo a reduzir o índice de ataques contra pessoas. Um canil-gatil está em construção nos arredores da cidade de Menongue.
Por outro lado, o chefe do Departamento Provincial de Veterinária informou que foi criada uma área responsável pela reprodução e sanidade animal, saúde pública, mas não funciona por falta de especialistas e os técnicos de veterinária são insuficientes para cobrir uma província, como o Cuando Cubango, com uma superfície de cerca 200.000 quilómetros quadrados.
A província do Cuando Cubango possui 250 mil cabeças de gado bovino, mas por falta de transporte  e técnicos veterinários só foi possível  vacinar 13.498 cabeças contra o carbúnculo sintomático e hemático, a brucelose, febre aftosa e dermatite nodular nos municípios de Menongue, Rivungo, Calai e Cuangar.
João Chamba admitiu existirem casos de consumo de carne imprópria na região, porque alguns criadores menos atentos, ao notarem uma cabeça debilitada, abatem o animal para venda no mercado paralelo, por isso pede à população para não comprar carne em locais inadequados.

Tempo

Multimédia